Olhar Direto

Terça-feira, 19 de março de 2019

Notícias / Educação

Piso salarial do professor da rede estadual é terceiro melhor do país

Da Redação - Vitória Lopes

13 Fev 2019 - 17:19

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Piso salarial do professor da rede estadual é terceiro melhor do país
Com um piso salarial de R$ 4.349,55 para jornada de trabalho de 30 horas semanais, Mato Grosso se destaca no ranking entre todos os estados do país como o terceiro melhor salário pago aos professores.

Leia mais:
Prefeitura realiza mutirão de atendimento para retirar 900 pessoas da fila de espera do SUS


Em um levantamento realizado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Mato Grosso fica atrás apenas dos estados do Maranhão (cujo piso é de R$ 5.750,84) e Mato Grosso do Sul (R$ 5.390,22).

Esse valor está bem acima do piso nacional do magistério, que é de R$ 2.557,74 para 40 horas e segue o que estabelece a Lei 11.738/2008, a qual institui o piso salarial nacional dos profissionais do magistério público da Educação Básica.

A jornada de trabalho na rede estadual é de 30 horas semanais e o professor da educação básica, classe B – Nível 1, recebe salário de R$4.349,55 por esse período tralhado. Fazendo o comparativo com as redes estaduais que trabalham 40 horas, chega-se ao salário de R$ 5.799,40 para a rede estadual de Mato Grosso para essas horas trabalhadas.

A rede estadual de Educação de Mato Grosso conta com cerca de 40 mil profissionais, sendo que desse total 24,3 mil são professores, que atuam nas 766 unidades educacionais, atendendo aproximadamente 392 mil alunos.

Ano Letivo 2019

Na segunda-feira (11), todos esses alunos retornaram para a sala de aula, dando início ao ano letivo 2019 nas 766 unidades educacionais da rede estadual.

A secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, visitou algumas escolas no primeiro dia de aula para dar boas-vindas e desejar sucesso aos profissionais e alunos. A secretária também falou das metas e dos desafios da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para os próximos anos.

“Estamos percorrendo as escolas para conversar um pouco com os profissionais da educação, explicar a eles o processo que a Seduc vem adotando para tentar colocar a situação financeira do Estado no eixo e, por conseguinte, possamos atingir os objetivos de valorizar os profissionais, melhorar a infraestrutura da nossa rede e, principalmente, beneficiar nossas crianças com uma qualidade de ensino adequada”.

Segundo a secretária, as expectativas para este ano são grandes, principalmente porque a Seduc tem metas a cumprir com relação aos resultados educacionais, como a realização do índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

“A função social da educação é possibilitar um ensino de qualidade para auxiliar na transformação de vida de nossas crianças, jovens e adolescentes. Nessa perspectiva, principalmente diante do contexto que estamos vivendo, de calamidade financeira, o pacto pelo Estado de Mato Grosso possibilita fazer uma reflexão de que somente com muito esforço e trabalho vamos conseguir resolver toda a situação do caos financeiro que o estado enfrenta”, destacou a secretária.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Curioso
    13 Fev 2019 às 17:53

    E a qualidade do ensino e a terceira melhor do Brasil?

Sitevip Internet