Olhar Direto

Sexta-feira, 22 de março de 2019

Notícias / Política MT

Barranco afirma que ‘disparada’ dos números de feminicídio se deve à posicionamento de Bolsonaro

Da Reportagem Local - Érika Oliveira / Da Redação - Isabela Mercuri

12 Mar 2019 - 08:53

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Barranco afirma que ‘disparada’ dos números de feminicídio se deve à posicionamento de Bolsonaro
O deputado estadual Valdir Barranco (PT) afirmou, na tarde desta segunda-feira (11), que o aumento no número de feminicídios e de agressões às mulheres se deve, primordialmente, à eleição de Jair Bolsonaro (PSL).

Leia também:
Audiência pública discute papel da mulher na sociedade e sua relevância na AL

“Nós temos um presidente que é misógino, que é truculento com as mulheres, que é covarde, que agrediu enquanto deputado federal uma deputada, colega dele, e que ele e os filhos dele, durante todo o período de campanha e pré-campanha do ano passado, foram muito claros em dizer que a mulher não pode ocupar o mesmo espaço que o homem na sociedade. Então tudo isso fez com que após as eleições, assim como as pessoas acharam que com a eleição dele ia poder sair todo mundo armado por aí atirando em quem quisesse, também os homens passaram a achar que estavam protegidos e poderiam sair agredindo as suas parceiras”, disse.

Para Janaína Riva, o posicionamento do presidente é temerário, mas não o principal fator que levou ao aumento dos números. “Algumas declarações são extremamente preocupantes, eu não sei o quão isso afeta de forma direta, porque eu vejo também um desmonte das policias militares e civil acontecendo por todo o Brasil e isso eu acho que atrapalha muito mais inclusive do que qualquer declaração. Nós estamos por exemplo, com dificuldades de adquirir viaturas no Estado, então isso com certeza contribui muito. O trabalho em Barra do Garças por exemplo, é feito com uma patrulha Maria da Penha que é uma viatura que faz acompanhamento e nós não temos condição hoje no Estado de fazer isso como um todo, então eu não vejo como sendo esse o principal fator, mas é claro que em certos momentos isso contribui sim quando você trabalha com essa diminuição da figura da mulher como eu vi o caso, por exemplo, da senadora Selma falar tratando a mulher de forma igualitária, a gente sabe que não existe essa igualdade de forma verdadeira ainda. Então eu acho que isso sim contribui para o aumento", disse.



A fala faz referência a dados recentes que dão conta do aumento de 15% nos casos de feminicídio e de quase 60% nas chamadas no Canal 180 (Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência). Para discutir estes números, Barranco e Janaína Riva (MDB) requereram uma audiência pública sobre o tema, que começou às 14h30 desta segunda (11) na Assembleia Legislativa. O objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade e sua relevância em todas as esferas. 

Para Barranco, além da eleição de Bolsonaro, outro motivo para o aumento é que “a medida que [a mulher] vai avançando e conquistando seus espaços, boa parte dos machistas que não aceitam esse avanço”. Janaína complementa afirmando que Mato Grosso é um dos estados mais machistas do Brasil. "Acho que essa pauta tem que ser tratada aqui e tinha que ser tratada até de forma constante. Eu sempre venho falando que é preciso algumas medidas e essa audiência é exatamente para isso, as pessoas vem trazer alternativas no Estado, onde fizeram algum trabalho de combate a violência e funcionou. Caso de Barra do Garças que quase zerou o índice de violência doméstica. Essas são referencias que vêm hoje serem colocadas aqui para que o Estado inteiro e as pessoas que estão aqui possam acompanhar outros modelos que dão certo". 

Outra questão criticada pelo parlamentar foi o fato de as delegacias da mulher de Mato Grosso não estarem abertas aos finais de semana. “Não funcionam nos finais de semana e não funcionam nos feriados, que são exatamente as datas em que os companheiros se embriagam, voltam pra casa mais alterados e acabam agredindo suas companheiras, e elas não encontram esse amparo nas delegacias, porque elas estão fechadas exatamente nesses dias”.

Por fim, o deputado afirmou que o papel da Assembleia Legislativa, além de promover a discussão sobre o tema, é “cobrar do Estado pra que aquelas medidas que já foram tornadas legais aqui, através de aprovação da casa e também de sanção dos governos anteriores, possam ser cumpridas”.

Barranco também chamou atenção para o alto número der mulheres encarceradas sem terem passado por julgamento em primeira instância. O deputado afirmou que, após a audiência, ele e Janaina vão apresentar, na sessão de terça-feira (12), um requerimento para o Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, para que informe a quantidade de mulheres nesta situação, e solicitar que haja ‘mutirões’ para que elas sejam, enfim, julgadas.

61 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Nasciso
    13 Mar 2019 às 10:20

    Que tristeza ver a qualidade dos deputados do Brasil principalmente do MT. Sem qualificação intelectual p nada. Surje um “BARBUDO dp “ BARRANCO “. E assim vamos denominado a turma. Para nao dizer os outros apelidos que se instalam dentro da assembleia. Gloria a Deuxxxxxxxxxx

  • Rolando
    13 Mar 2019 às 10:16

    Esse deputado literalmente ROLOU BARRANCO A BAIXO nao sabe onde caiu Nem como nem quando. Quanta besteira falada em um linguajar pobre e rico em besteiras. A violência contra a mulher existe a muito tempo. So que agora resolveram divulgar. Denunciar. Conscientizar a população. ????????????????

  • Areal III
    13 Mar 2019 às 08:34

    Quero avisar os bolsominios que comentam nesse espaço como estão hoje suas conta correntes , esta sobrando dinheiro ? o gado esta pastando no pasto? acordem , voces são pobres..vocs não são ricos ...são assalariados..parem de comentar como se fosse da familia Maggi , vizinhos de fazenda de Piveta ...vou falar em alto e bom som ...voces são pobres ..pobres ..pobres ...cheio de boletos...parem de serem soberbos...acordem ....

  • Mario
    13 Mar 2019 às 00:22

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Angelo
    12 Mar 2019 às 23:16

    E não é que toda essa cordeirada ainda defende o bolsonazzi? A psicologia terá farto material para estudo e pesquisa pelas próximas décadas ... nunca vi tamanha identificação de oprimidos com um opressor nato como o "presidente" ...

  • JOÃO SIMÃO
    12 Mar 2019 às 23:07

    Dá nojo dessas noticias. Meeeuuuu deeeuuussss. Acordem prá vida meu povo. Saim dessa. basta de copiar baboseiras da Rede Globo

  • Cacerense
    12 Mar 2019 às 22:41

    É tanto comentário de bolsominions (ou bozominions) que dá até indigestão. Valei-me Nossa Senhora!!

  • OSMAR
    12 Mar 2019 às 21:32

    Infelizmente estamos colhendo os frutos espinhosos da era PTralha que protegiam os bandidos.

  • DELCIO JANKE
    12 Mar 2019 às 21:06

    Você foi eleito , para que? Para ajudar a população ou para falar asneiras!

  • Eliseu
    12 Mar 2019 às 20:28

    Um homem que é chamado de barranco e veste uma camisa dessa com terno pode falar qualquer .... que ninguém vai levar a sério.

Sitevip Internet