Olhar Direto

Segunda-feira, 25 de março de 2019

Notícias / Cidades

Dos 74 presos por envolvimento em fraude na Sema, 70 foram soltos

Da Redação - Vinicius Mendes

14 Mar 2019 - 08:44

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Dos 74 presos por envolvimento em fraude na Sema, 70 foram soltos
Das 74 pessoas presas pela Polícia Judiciária Civil (PJC) nesta quarta-feira (13), por envolvimento em uma fraude ambiental que ultrapassa R$ 150 milhões, na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), apenas quatro permanecem presas. As outras 70 já foram ouvidas.
 
Leia mais:
Polícia cumpre 128 mandados contra ex-servidores e engenheiros acusados de fraude de R$ 150 milhões
 
A juíza Ana Cristina Silva Mendes realizou na tarde de ontem (13) seis audiências de custódia de pessoas presas em Cuiabá e Várzea Grande durante a “Operação Terra à Vista”. No total foram emitidos 128 mandados de prisão e 12 buscas e apreensão.
 
Das seis audiências de custódia realizadas na Capital, já foram revogadas a prisão temporária e expedidos alvará de soltura em relação a cinco pessoas, por já terem sido ouvidas hoje pela autoridade policial. São elas: Theophilo Nelson Cunha Sobierai, Edmilson Rodrigues da Silva, Dambros André Sbizero, Fernando Alécio Costa e Alex Sandro de Medeiros Nascimento.
 
Foi mantida a prisão temporária de Juliana Aguiar da Silva, que somente será ouvida pela autoridade policial nesta quinta-feira (14).
 
Já no interior do Estado, permanecem presos três homens, todos de Sinop (a 480 km de Cuiabá). São eles: Fernando Bruno Crestani, Leonardo Crestani e Getulio da Silva Pinto.
 
“Terra a vista”
 
A operação intitulada “Terra a Vista”, é oriunda de inquérito policial conduzido pela Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), com o  objetivo de investigar uma organização criminosa que atuava na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), fraudando o Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora).
 
As investigações contaram com apoio da Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e de Recursos Naturais Renováveis (Ibama), nos procedimentos de análise e auditoria, além do auxílio no trabalho com a vistoria de mais de 70 mil m³  relacionados a empreendimentos alvos do inquérito.
 
O trabalho de apuração começou no ano de 2014, com o auxílio de uma auditoria realizada pelo Ibama, que descobriu um esquema de fraude no sistema na criação de créditos florestais, beneficiando diversas empresas do ramo madeireiro e terceiros (com inserção de dados falsos no sistema).
 
Muitos créditos circularam para outras empresas gerando Guias Florestais inidôneas, as quais podem ter sido usadas para acobertar operações ilegais, promovendo, em tese, tanto a circulação de produto florestal de origem ilícita, quanto à lavagem dos valores correspondentes a essas mercadorias ilegais (madeiras extraídas ilegalmente, lavagem de dinheiro).

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Realista
    15 Mar 2019 às 13:54

    Não adianta só prender. Tem é que confiscar todos os bens, inclusive aqueles que estão em nome de laranjas.

  • de olho
    14 Mar 2019 às 19:52

    Os quatros presos são ricos e muito ricos.

  • Ricardo Silva
    14 Mar 2019 às 11:01

    Tem Engenheiros ai nesta lista que já foram presos em outras operações, e já foram presos mais de tres vezes.Será que são tão inocentes??.

  • Crítico
    14 Mar 2019 às 09:40

    Os 4 presos são pobres.

  • Santos
    14 Mar 2019 às 09:16

    Operações midiáticas, apenas para aparecerem, terem seus 5 mim de fama... Hoje em dia prende-se a troco de nada. Por isso a justiça solta. Outro dia prenderam um casal que não tinha a ver com a execução do delator da operação credito pobre. Só depois da prisão que foram ver isso... Pra que ser a investigação?? E agora, o que fazer com o estragado na vida do casal??

Sitevip Internet