Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 04 de junho de 2020

Notícias / Tecnologia

Geller diz que ninguém está autorizado a falar em nome do Mapa sobre refúgio em MT

De Brasília – Vinícius Tavares

21 Ago 2014 - 17:25

Foto: Reprodução

Geller diz que ninguém está autorizado a falar em nome do Mapa sobre refúgio em MT
O ministro da Agricultura Neri Geller disse nesta quinta-feira (21.8) que ninguém está autorizado por ele a falar em nome do governo federal a respeito de datas para a implantação do refúgio nas lavouras para o combate às pragas em Mato Grosso, prática esta que ainda não é regulamentada no país.

Segundo Neri, o texto da Instrução Normativa, que valerá para a safra 2014/2015, deve estar concluído dentro de 15 dias. Sem citar nomes, porém, o ministro disse que as discussões sobre a implantação do refúgio em qualquer estado estão sendo feitas pelo governo juntamente com o setor produtivo.

“O que tem de absolutamente concreto é que ninguém está autorizado a falar em nome do Ministério da Agricultura sobre o refúgio da soja nem em Mato Grosso e nem em nenhum outro estado. O nosso grupo de trabalho na Secretaria de Defesa Agropecuária, que tem como secretário adjunto o (Marcos de Barros) Valadão, está conduzindo este processo”, afirmou em entrevista exclusiva ao Olhar Direto.

Leia também
Reunião no Mapa definirá ajuste da regulamentação do refúgio

O objetivo da técnica do refúgio é garantir à suscetibilidade dos insetos às toxinas do plantio transgênico. No entanto, se a área não for delimitada corretamente, o uso da tecnologia Bt corre o risco de se tornar ineficiente, uma vez que pragas mais resistentes podem se desenvolver.

Geller reiterou também que um corpo técnico formado por representantes da SDA da Embrapa e de outros órgãos de pesquisa está avaliando os procedimentos a serem adotados para a adoção do refúgio nas lavouras para conter o avanço de pragas sobre sementes transgênicas.

“Isso não vai vir do Estado. Isso vai ser para o país inteiro e não vai ser regionalizado. Não vai ser tomada absolutamente nenhuma posição sem se discutir com o setor. Nós vamos chamar todo o setor para dentro e vamos avaliar para defender a produção. Está dando muita polêmica desde abril e não tem absolutamente nada definido. Nós vamos tomar decisões a partir de dados científicos”, frisou ele a respeito da pressão exercida por produtores e entidades para a adoção do sistema.

O ministro não confirmou a informação publicada no site do Mapa de que o diretor do Departamento de Sanidade Vegetal (DSV) do Mapa, Luís Eduardo Rangel, se reuniria com representantes de associações de produtores e empresas de biotecnologia com o objetivo de documentar o processo de elaboração da norma para as áreas de refúgio.


0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet