Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 04 de junho de 2020

Notícias / Logística

Transporte de rotor da UHE Teles Pires deve durar 12 dias somente na BR-163

Da Redação - Viviane Petroli

28 Nov 2014 - 11:50

Foto: Rota do Oeste/Odebrecht TransPort

Transporte de rotor da UHE Teles Pires deve durar 12 dias somente na BR-163
O transporte do terceiro rotor da Usina Hidrelétrica Teles Pires deverá ter duração de 12 dias somente na BR-163. A terceira mega-peça a compor o gerador da Usina saiu de Cáceres na semana passada e no dia 23 passou pelo Trevo do lagarto, em Cuiabá. Nesta sexta-feira (28) o transporte do rotor está previsto para ser feito entre os quilômetros 520 e 560 da BR-163.

Ao todo são cinco o número de rotores serão utilizados para compor as turbinas responsáveis por transformar a energia hidráulica (energia da água) em mecânica (movimento das turbinas). A UHE Teles Pires é construída no Rio Teles Pires, afluente do rio Tapajós, fronteira dos estados do Pará e Mato Grosso, na fronteira dos municípios de Jacareacanga (PA) e Paranaíta (MT). Sua potência instalada é de 1.820 megawatts, que são considerados suficiente para abastecer com energia elétrica uma população de 2,7 milhões de famílias.

Leia mais:
Terceiro rotor da UHE Teles Pires começa a ser transportado em Mato Grosso

Obras em pavimentação seguem nas BR-163 e BR-070 nesta sexta-feira

O deslocamento do equipamento é acompanhado pela Polícia Rodoviária Federal e ao longo da BR-163 terá também o apoio da Concessionária Rota do Oeste, pertencente à Odebrecht TransPort. A mega-peça possui 280 toneladas.

De acordo com a Rota do Oeste, um veículo, equipado com sistema de rastreamento via GPS, foi disponibilizado para acompanhar o transporte do rotor. O sistema de rastreamento envia em tempo real informações sobre o transporte para o Centro de Controle Operacional da Concessionária.

“Desta forma conseguimos realizar um monitoramento integral, auxiliando na sinalização e repassando informações ao usuário da rodovia em casos de necessidade”, explica o gerente de Tráfego da Rota do Oeste, Fernando Milléo.

A Rota do Oeste comenta ainda que o acompanhamento do translado do equipamento permite que a concessionária realize análises de pontes, viadutos, além de outras estrutura no decorrer do trajeto da BR-163.

Entre o desembarque em Cáceres, há cerca de 10 dias, até Paranaíta, onde a usina é construída, estima-se que se leve 30 dias para fazer o transporte do rotor. Somente na BR-163 acredita-se que sejam 12 dias.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet