Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 04 de junho de 2020

Notícias / Energia

Governo federal nega que corte de energia tenha relação com consumo em alta

Da Redação - Viviane Petroli

20 Jan 2015 - 08:20

Foto: Reprodução/Internet

Governo federal nega que corte de energia tenha relação com consumo em alta
A interrupção de energia elétrica para 150 mil unidades consumidoras em Mato Grosso nesta segunda-feira (19) e em outros 11 Estados não foi consequência do pico de consumo de eletricidade registrado no início da tarde no Brasil. A negação é do governo federal, por meio do Ministério de Minas e Energia. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o órgão responsável pela gestão de energia no país, o corte de energia foi decorrente "restrições na transferência de energia das Regiões Norte e Nordeste para o Sudeste, aliadas à elevação da demanda no horário de pico, provocaram a redução na frequência elétrica".

Em Mato Grosso 11 cidades foram afetadas, conforme a Cemat. O corte no Estado foi de 185 MW, aproximadamente 12% da energia distribuída no momento da interrupção. Houve interrompimento de energia em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Campo Verde, Nova Mutum, Juara, Tangará da Serra, Alta Floresta, Paranaíta, Nova Monte Verde e Juruena.

Leia mais:
Mato Grosso é orientado pela ONS a reduzir fornecimento de energia; 150 mil ficaram sem luz nesta segunda
Banco Central prorroga prazo para produtores quitarem débitos com o FCO

Em nota a ONS declarou que as "restrições na transferência de energia das Regiões Norte e Nordeste para o Sudeste" tiveram início às 14h55 (horário de Brasília) e a partir das 15h45 (horário de Brasília) o fornecimento de energia estava totalmente normalizado.

Além de Mato Grosso, faltou luz em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Rondônia.

“Os primeiros cortes ocorreram às 13h55 e os últimos às 14h26. A energia começou a ser restabelecida às 14h35 e foi totalmente normalizada às 14h48. Com isso, a duração média foi de 33 minutos, sendo que a menor interrupção foi em Rondonópolis (16 minutos) e a mais longa, em Nova Mutum (50 minutos)”, declarou a Cemat em nota a respeito de Mato Grosso.

Confira a nota emitida pela ONS:

Nota à Imprensa (19/01/2015)

No dia 19 de janeiro, a partir das 14h55, mesmo com folga de geração no Sistema Interligado
Nacional (SIN), restrições na transferência de energia das Regiões Norte e Nordeste para o Sudeste, aliadas à elevação da demanda no horário de pico, provocaram a redução na frequência elétrica.

Na sequência, ocorreu a perda de unidades geradoras nas usinas Angra I, Volta Grande, Amador Aguiar II, Sá Carvalho, Guilman Amorim, Canoas II, Viana e Linhares (Sudeste); Cana Brava e São Salvador (Centro-Oeste); Governador Ney Braga (Sul); totalizando 2.200 MW. Com isso, a frequência elétrica caiu a valores da ordem de 59 Hz, quando o normal é 60 Hz.

Visando restabelecer a frequência elétrica às suas condições normais, o ONS adotou medidas operativas em conjunto com os agentes distribuidores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste,
impactando menos de 5% da carga do Sistema.

A partir das 15h45, a situação foi totalmente normalizada.

Amanhã, dia 20 de janeiro de 2015, às 14h30, no Rio de Janeiro, o ONS se reunirá com os agentes envolvidos para analisar a ocorrência.

Assessoria de Planejamento e Comunicação do ONS

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet