Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 03 de junho de 2020

Notícias / Energia

Bandeira vermelha deverá custar R$ 3 bi com impostos aos consumidores

Da Redação - Viviane Petroli

22 Jun 2015 - 08:00

Foto: Reprodução/Internet/Ilustração

Bandeira vermelha deverá custar R$ 3 bi com impostos aos consumidores
A bandeira tarifária vermelha da energia elétrica deverá custar aos brasileiros cerca de R$ 3 bilhões, apenas com impostos incidentes, até o final do ano sobre a cobrança adicional da mesma. Somente no primeiro trimestre de 2015, as bandeiras tarifárias estabelecidas pelo Governo Federal, que passaram a valer definitivamente em janeiro, já custaram R$ 2,4 bilhões aos brasileiros. Deste volume R$ 600 milhões se referem a impostos.

Na visão do deputado federal de Mato Grosso e membro da Comissão de Minas e Energia da Câmara, Fábio Garcia (PSB-MT), a cobrança adicional ocorre devido à falta de planejamento do Governo Federal para situações como a vivenciada no Brasil com a energia elétrica.

“Mas uma coisa é certa: a culpa não é do consumidor. Que, além de ter que arcar com o aumento do custo de geração por causa de condições que estão fora de seu controle, ainda tem que desembolsar recursos por causa dos impostos a pagar sobre esta parcela adicional”.

Leia mais:
Alto custo da energia é criticado no Senado; Copom prevê alta de 41%
Aneel eleva em 83% valor da bandeira vermelha diante crise energética

As bandeiras tarifárias (vermelha, amarela e verde), como o Agro Olhar já comentou, entraram em vigor no dia 1º de janeiro. As bandeiras são um indicativo do custo de geração de energia elétrica no Brasil, principalmente por parte das termelétricas. A Aneel ressalta que as bandeiras tarifárias não se aplicam para aos Estados do Amazonas, Amapá e Roraima, visto eles não estarem plenamente conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

A estimativa, segundo Fabio Garcia, é que até o final do ano sejam arrecadados aproximadamente R$ 3 bilhões apenas com impostos incidentes sobre essa cobrança adicional da bandeira tarifária.

“Ou seja, a crise energética está sendo lucrativa para o próprio governo, que incrementou sua arrecadação à custa dos consumidores de energia elétrica”, destaca o deputado federal mato-grossense.

Hoje, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a bandeira amarela custa R$ 2,50 por kWh, enquanto a bandeira vermelha R$ 5,50 por 100 kWh.

No Brasil os tributos sobre a fatura de energia elétrica são superiores a 27%. Em Mato Grosso, por exemplo, os tributos correspondem a cerca de 46% do valor da conta de energia, principalmente na energia voltada para a indústria.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • joao
    22 Jun 2015 às 15:29

    Além de tudo isso, ainda a energisa ou sei lá alguem do governo estadual poderiam facilitar para o morador pois se caso atrazarmos a conta de energia ,eles ENERGISA não querem nem saber ,nem dá 20 dias de atraso vão cortando a luz ou seja que se f..... O contribuinte. O governador deveria ajudar nisto pois não esta fácil para ninguém, e até organizarmos o nosso orçamento pois a conta de luz dobrou o valor a ter que ser pago fica difícil ou você paga a energia ou deixa de comer algo. Estamos voltando na época dos reis, se não pagamos os impostos vamos para o calabouços ou cala boca.

  • vigilante
    22 Jun 2015 às 10:05

    o governo metendo a mão no bolso do cidadão o tempo todo, o brasil indo mais pro fundo do poço e ninguem ninguem fazendo nada (politicos oposiçõa nada nada )

  • Observador
    22 Jun 2015 às 09:19

    É o partido da BANDEIRA VERMELHA ferrando o consumidor. Mas eles serão banidos do poder pelo voto do eleitor.

Sitevip Internet