Olhar Agro & Negócios

Sábado, 06 de junho de 2020

Notícias / Pecuária

Pecuária intensificada é o foco das fazendas Girassol e Girassol do Prata

Ascom Famato

07 Jan 2016 - 14:00

Por acreditar que tinha algo diferenciado para mostrar, o agropecuarista Gilberto Goellner inscreveu suas propriedades rurais no prêmio Sistema Famato em Campo. As fazendas Girassol, em Pedra Preta, e Girassol do Prata, em Jaciara, estão entre as que mais se destacaram no prêmio e foram escolhidas, junto às outras sete participantes, como referências em pecuária de corte pelo Sistema Famato. Esta é a primeira matéria da série que vamos divulgar daqui até as próximas semanas para apresentar um pouco mais sobre cada uma das propriedades que participaram da premiação.

"Depois de assistir diversas palestras, eu aprendi que devíamos deixar a pecuária tradicional e adotar a pecuária intensificada. Como isso trouxe um grande ganho para a nossa produtividade, penso que seria interessante compartilhar os resultados com os demais pecuaristas", afirma Goellner.

Com o rebanho predominante de machos da raça Nelore, a pecuária retornou às propriedades de Goellner em 2004. "Na década de 80, quando assumimos as propriedades deixamos a pecuária que era praticada anteriormente na fazenda e começamos a produzir soja, algodão e milho em 2° safra. Após mais de 30 anos voltamos a trabalhar com a pecuária de cria nas áreas marginais que não apresentavam boa produtividade na soja. Foi assim até 2010, quando a cria deu lugar a recria intensiva e engorda em sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP)", explica o agropecuarista.

Grande parte da suplementação animal é produzida dentro das propriedades. "Nós temos quase tudo, o milho, a silagem, o caroço de algodão, até o capulho de algodão que antes jogávamos fora e hoje é usado como fibra na suplementação. Com isso, conseguimos fornecer ao nosso rebanho uma alimentação melhor e mais barata".

A intensificação da pecuária nas propriedades Girassol e Girassol do Prata também conta com pastos diferenciados para as épocas de seca e das águas. "Como resultado, conseguimos manter uma alta lotação em uma pequena área, com um desfrute muito grande de animais. Hoje, conseguimos colocar seis unidades animais por hectare ao ano enquanto na pecuária tradicional esse número é de meia cabeça", informa Goellner.

Com mais de 600 funcionários registrados no grupo, o agropecuarista acredita que a valorização da mão de obra e a modernização da empresa também são diferencias das suas propriedades. "Nós investimos no capital humano e remuneramos bem para fixar e conservar nossos colaboradores. Hoje eles recebem treinamentos, bonificações, 14 salários e planos de saúde".

Sobre o prêmio – O Prêmio Sistema Famato em Campo é uma iniciativa da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e o Imea. Surgiu para identificar no Estado práticas diferenciadas da pecuária.

As sete propriedades de maior destaque apresentaram seus cases de sucesso durante o evento Rentabilidade no Meio Rural, no auditório do Senar-MT, realizado em dezembro de 2015, e foram premiadas com o troféu Sistema Famato em Campo.

As duas que mais pontuaram também foram premiadas com uma viagem para os Estados Unidos, onde irão participar de uma missão técnica com visitas ao Ministério da Agricultura americano e propriedades de corte e leite. Além disso, apresentarão seus cases na Universidade Estadual do Kansas durante o evento Cattlemens Day, em março de 2016.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet