Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 05 de junho de 2020

Notícias / Pecuária

Status de zona livre da peste suína é resultado de ações intensificadas, afirma Indea

Da Redação - Viviane Petroli

28 Jul 2016 - 10:51

Foto: GCOM-MT

Status de zona livre da peste suína é resultado de ações intensificadas, afirma Indea
O status de 'zona livre da peste suína' atribuído para Mato Grosso pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é classificado como resultado da intensificação de ações realizadas pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Mato Grosso (Indea-MT) em parceria com a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat).

Mato Grosso é o quinto maior produtor de suínos do Brasil. No Estado são gerados na suinocultura 3.505 empregos diretos e 10.515 indiretos, de acordo com a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat). Ao todo são 416 granjas comerciais espalhadas em 33.678 propriedades cadastradas no Estado. O plantel suíno do Estado conta com 1,5 milhão de cabeças, dos quais 138 mil são matrizes.

Leia mais:
Mato Grosso é declarado como Estado livre de peste suína clássica por Ministério

Mato Grosso recebeu o reconhecimento de 'zona livre da peste suína clássica' da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) no mês de maio e na última semana do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Diversas ações foram realizadas pelo Indea, em conjunto com o setor produtivo, para que o Estado recebesse tal status.

Segundo o Indea, uma das ações desempenhadas pelo órgão foi o atendimento às exigências do Ministério de reforçar o controle sanitário do rebanho suíno com a instalação de dois postos fiscais na divisa com o Estado do Pará e uma operação constantes de barreira volante com o Amazonas.

“Montamos os postos porque esses dois estados não possuem o reconhecimento de área livre de PSC, nem em nível nacional e nem internacional. Os postos de Vila Rica e Guarantã do Norte foram reativados e a barreira volante na região de Colniza foi criada, pois o posto fiscal que lá existia ficava muito tempo intransitável. Trata-se de uma ação obrigatória numa área de vulnerabilidade entre Mato Grosso, zona livre de PSC, e o Amazonas e o Pará, que são zonas não livres de PSC”, observa a médica veterinária responsável pelo Programa Estadual de Sanidade Suídea do Indea, Daniella Schettino.

Dos 141 municípios, ao qual o Indea está presente, 113 contam com médicos veterinários nos escritórios realizando todos os meses ações de vigilância ativa, além de fiscalização de propriedades rurais, vistorias e exames clínicos em suínos de criações de subsistência e granjas comerciais.

O coordenador de Defesa Sanitária Animal do instituto, João Marcelo Néspoli, pontua que a peste suína clássica é uma das doenças de notificação obrigatória ao serviço veterinário oficial. Mato Grosso está livre da doença há mais de 20 anos.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Servidor INDEA
    28 Jul 2016 às 15:49

    Informação a sociedade: o INDEA está sem direção tanto é que nem o coordenador na matéria não diz que são os agentes que cuidam e laboram de forma ininterrupta nos postos fiscais, o Indea está rachado é isso implica num péssimo serviço prestado à sociedade, sugestão pra acabar com isso seria mudar esse discurso utópico que o Indea e de uma categoria apenas. Dá nojo

  • Agente Fiscal
    28 Jul 2016 às 15:12

    Engraçado mesmo é o reconhecimento do órgão aos Agentes Fiscais. Indea não é feito apenas de Veterinários.

  • Funcionário
    28 Jul 2016 às 14:56

    Postos reativados, sei! Na verdade a sociedade precisa seaber que os funcionários do INDEA ficam em Containers e sem a presença da PM. Pura hipocrisia desses coordenadores que ficam em seus cabinetes em Cuiabá e nao falam a realidade que se acontece nos Postos fiscais precários, alguns até com interdição do corpo de bombeiros. Que notícia furada.

Sitevip Internet