Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 03 de junho de 2020

Notícias / Meio Ambiente

Churrasco de domingo é “culpado” por aquecimento global, afirmam especialistas

Da Redação - Viviane Petroli

06 Nov 2016 - 10:29

Foto: Reprodução/Internet/Ilustração

Churrasco de domingo é “culpado” por aquecimento global, afirmam especialistas
O tradicional churrasco de domingo está sendo visto como o “vilão” do aquecimento global. A carne, desde a criação do animal até a sua chegada à mesa do consumidor, segundo especialistas, é responsável por 65% das emissões de gases de efeito estufa dentro do setor agropecuário, visto a “ineficiência” do sistema produtivo e do Brasil contar com o maior rebanho comercial de aproximadamente 215 milhões de cabeças, sendo quase 30 milhões apenas em Mato Grosso.

O setor agropecuário é responsável por 69% das emissões de gases do efeito estufa, de acordo com estudo do Sistema de Estimativa de Emissão de Gases de Efeito Estufa (SEEG), do Observatório do Clima, rede esta que reúne 40 organizações da sociedade civil. Nesta conta do estudo estão inclusos poluentes decorrentes do processo digestivo e dejetos de rebanho, o uso de fertilizantes e o desmatamento (43% das emissões nacionais).

As emissões brasileiras de gases de efeito estufa (GEE) aumentaram 3,5% em 2015, saltando de 1,861 bilhão de toneladas brutas de CO2 equivalente (CO2e, a soma de todos os gases de efeito estufa convertidos em dióxido de carbono) em 2014 para 1,927 bilhões de toneladas o ano passado.

Leia mais:
ILPF em Mato Grosso eleva produção de carne em cinco vezes ante a média nacional

Conversão de pasto em área de agricultura avança em Mato Grosso e traz ganhos de produtividade

O aumento é creditado, sobretudo, ao crescimento do desmatamento em 2015. Segundo o SEEG, as emissões por mudanças de uso da terra, considerando todos os biomas, subiu 12%, enquanto o setor da energia, segunda maior fonte de emissões na economia do país, caiu 5,3% com a desaceleração econômica e avanços das energias renováveis.

A pesquisa afirma que desde 2005, quando teve início o desmatamento na Amazônia, até 2015 as emissões da agropecuária tiveram alta de 9%, da energia 45% e as de resíduos e processos industriais cerca de 23%.

O analista de clima e agricultura do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), Ciniro Costa Junior, em entrevista ao Agro Olhar, explica que sozinha a pecuária de corte é responsável por 15% das emissões de gases de efeito estufa (GEE) do país. “Mas, esse percentual sobe para 69% se somando o desmatamento para o uso pecuário, somado ao uso da energia elétrica e resíduos usados pelo setor. São várias contas feitas para chegar a um resultado final. Somente o setor agropecuário é responsável por entre 20% e 30% das emissões nacionais, das quais 65% são provenientes da pecuária de corte”.

Conforme o analista de clima e agricultura da Imaflora, o “vilão” em questão na verdade é a “ineficiência do sistema de produção da pecuária de corte e a grande quantidade de animais produzidos no Brasil”. Ciniro Costa Junior pontua ainda que “aumentando a eficiência do sistema de produção da pecuária de corte se tem uma redução na produção de gases de efeito estufa e um aumento, inclusive, na produção de carne”.

Setor discorda

Para o setor produtivo de Mato Grosso tais pesquisas ligadas às emissões de gases de efeito estufa sempre olham apenas para um lado. De acordo com o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Francisco Manzi, todos os levantamentos quando avaliam o aquecimento global não levam em consideração várias coisas. “Onde o boi pastou, por exemplo, um novo pasto irá nasceu e com isso fazer a fotossíntese. Além disso, em áreas onde você não tem bovinos pastando os casos de incêndio são maiores, como é o caso no Pantanal em áreas sem a presença dos animais e com maior volume de mato”.

Francisco Manzi - superintendente da Acrimat

O superintendente da Acrimat afirma, ainda, que o setor vê com preocupação a questão, pois não se levou os dois lados em consideração. “Comparar boi com carro em termos de poluentes é um absurdo”. A pesquisa do SEEG revelou que o setor de transportes é o segundo maior emissor de gases com 11% do total, seguido da indústria (em especial a metalúrgica) com 9% e a produção de energia, incluindo a geração de energia e fabricação de combustíveis, com 7%.

Manzi lembra ainda que o Brasil possui 60% de sua área preservada e é o único país a contar com “reserva legal” por propriedade, além do sistema de integração entre lavoura e pecuária (iLP), lavoura-pecuária-floresta (iLPF) e pecuária-floresta (iPF).

Hoje, segundo estudo da consultoria Kleffmann Group, o Brasil tem 11,5 milhões de hectares com integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF). Somente em Mato Grosso, são aproximadamente 1,5 milhões de hectares. A tecnologia vem sendo adota mais por pecuaristas.

Estudo feito pela Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop, quanto ao sistema de integração lavoura-pecuária-floresta em Mato Grosso apontam uma produtividade de até 32 arrobas por hectare na pecuária bovina em um ano.

15 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Edinho
    08 Dez 2016 às 12:23

    ainda hoje em dia ainda tem gente que ainda dar essa informaçao enganosa falso aquecimento global ja virou piada que pesquisa sabe que aquecimento global nao existe ja existe varias provas cientifica

  • Amaranta
    07 Nov 2016 às 13:34

    Que isso! Desvirtuaram a conclusão de um estudo sério sobre o meio ambiente. Estão querendo nos colocar contra quem defende o meio ambiente para ficarmos a favor desses depredadores de nossa natureza. Calma lá gente, imparcialidade nas notícias de vez em quando é bem vinda.

  • Marcos para o Luis
    07 Nov 2016 às 10:54

    Concordo plenamente contigo. É fácil para outros paises julgar o Brasil e citar a produção de carne. Difícil é assumir também que são grandes importadores de carne brasileira, principalmente de Mato Grosso.

  • Jones
    07 Nov 2016 às 09:41

    A manipulação é uma arte. - esse números apresentado em separado são capazes de influenciar o consumidor, eu tendo entender o porquê esses institutos de pesquisas nunca comparam os gases produzidos pela industria, agropecuária em fim pelo homem, com aquele que é produzido e lançado na atmosfera sem a ação humana, como por exemplo um vulcão que entra em erupção...quando um vulcão entra em erupção sozinho ele lança na atmosfera o equivalente superior ao já lançado por toda a revolução industrial....penso que esta comparação não é feita com o objetivo de induzir o consumidor a boicotar o sistema...quanto esforço em busca de atenção tudo será..

  • agatha
    07 Nov 2016 às 09:11

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Cowboy
    07 Nov 2016 às 09:01

    Os gases mais poluentes são os expelidos pelas indústrias, que na maioria estão nos países ricos e considerados "desenvolvidos", certo? Outra coisa, a população mundial continua aumentando, os rios e mares são os mesmos, logo o que vem deles é o mesmo que vinha desde o principio. O que é possível aumentar em produção, vem da terra, trabalhada e cultivada pelo homem. Portanto, grãos, carnes e hortaliças deverão ser produzidos em maior escala para suprir a necessidade humana e de outros animais, que também acabam na mesa do homem. Parem de conversa fiada, tentando aumentar o preço do alimento!

  • carlos
    07 Nov 2016 às 08:35

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Helcio
    06 Nov 2016 às 15:54

    Com todo respeito, o "especialista" que escreveu/falou isso é um frustrado, nunca provou uma picanha mal passada.. Kkk

  • Zumbi do espaço
    06 Nov 2016 às 15:50

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • pedro neves
    06 Nov 2016 às 15:39

    pior é o meu colesterol

Sitevip Internet