Olhar Agro & Negócios

Domingo, 27 de setembro de 2020

Notícias / Pecuária

Bolívia recebe 105 mil doses de vacina contra aftosa para imunização na fronteira seca

Da Redação - Viviane Petroli

10 Nov 2016 - 14:00

Foto: Gcom/MT

Bolívia recebe 105 mil doses de vacina contra aftosa para imunização na fronteira seca
Cento e cinco mil doses de vacina contra a febre aftosa foram doadas para a Bolívia visando a imunização do rebanho bovino e bubalino na faixa de fronteira seca. As vacinas foram adquiridas e doadas pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal de Mato Grosso (Fesa-MT) e entregues pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea).

A vacinação contra a febre aftosa em Mato Grosso teve início no dia 1º de novembro e segue até o dia 30. Os pecuaristas devem imunizar bovinos e bubalinos de mamando a caducando nesta etapa.

Mato Grosso está livre da doença há duas décadas com vacinação e busca o status de livre da aftosa sem vacinação.

Leia mais:

Pecuaristas de Mato Grosso devem ter economia de R$ 6,6 mi com queda no preço da vacina contra aftosa

As 105 mil doses de vacina foram entregues para o Comitê Internacional Misto Brasil Bolívia (CIMBB). Deste volume, 80 mil doses seão destinadas para San Matias, que faz divisa com Cáceres e Porto Esperidião. Já as demais 25 mil doses vão para San Ignácio, que faz divisa com Vila Bela da Santíssima Trindade.

De acordo com o Indea, as doses serão distribuídas à pequenos e médios produtores do país vizinho.

O presidente do Indea, Guilherme Nolasco, afirma que a cooperação com a Bolívia na faixa de fronteira seca é essencial para a manutenção do status sanitário adquirido por Mato Grosso.

O CIMBBs, conforme o Indea, é formado pelo próprio Instituto de Defesa de Mato Grosso, Sindicatos Rurais do estado de municípios localizados na fronteira entre os dois países, além do Serviço Nacional de Sanidade Agropecuária e Inocuidade Alimentar da Bolívia (Senasag), Associação de Ganaderos de San Matias, Associação de Ganaderos de San Ignácio de Velasco (Agasiv) e Comitês Cívicos (representação dos indígenas).

A multa para o criador que não vacinar os animais até 30 de novembro é de 2,25 Unidade Padrão Fiscal (UPF) por cabeça de gado não vacinado. Além disso, o produtor que atrasar a comunicação da vacinação ficar ainda impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.

A vacinação é, inclusive, uma garantia para que o Estado siga com as exportações, mesmo não apresentando há quase duas décadas incidência da doença. Mato Grosso hoje exporta carne bovina para mais de 100 países. Em 2016, o estado e o Brasil conquistaram a abertura de mercado para a carne in natura por parte dos Estados Unidos, após quase 20 anos de negociações.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet