Olhar Agro & Negócios

Sábado, 28 de novembro de 2020

Notícias / Pecuária

Ministério da Agricultura aumenta rigor na prevenção da gripe aviária no Brasil, após caso em 45 países

Da Redação - Viviane Petroli

22 Fev 2017 - 09:12

Foto: Reprodução/Internet/Ilustração

Ministério da Agricultura aumenta rigor na prevenção da gripe aviária no Brasil, após caso em 45 países
Medidas que visam tornar mais eficiente a prevenção da influenza aviária, mais conhecida como gripe aviária, estão sendo adotadas pelo Brasil. O "alerta" no país foi acionado após 45 países registrarem focos da doença em aves nos últimos três meses, entre eles o Chile, a Alemanha, Suécia e Rússia. Grande produtor de aves, o Brasil exporta hoje para mais de 160 países, gerando com as negociações cerca de US$ 7,5 bilhões ao ano para setor.
 
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, assinou na terça-feira, 21 de fevereiro, uma Instrução Normativa (IN) que intensifica os cuidados de prevenção à influenza aviária.

Leia mais:
Temendo Influenza, avicultores adotam medidas em Mato Grosso
 
A Instrução Normativa deverá ser publicada nos próximos dias e os aviários terão um prazo para colocar em prática medidas como a colocação de tela em galpões de aves poedeiras, e não apenas nas de corte como já era previsto, e prazo para estabelecimentos avícolas apresentarem requerimento de registro junto ao serviço veterinário estadual.
 
Em 2015, de acordo com os últimos dados divulgados sobre Produção da Pecuária Municipal pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possuía um efetivo de galináceos, que incluem as galinhas, de 1,33 bilhão de cabeças. O resultado equivalia a um aumento de 0,9% em relação a 2014. Segundo a pesquisa, Mato Grosso contava 50,488 milhões de galináceos.
 
A assinatura da Instrução Normativa (IN) ocorreu durante reunião com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em São Paulo (SP). Na ocasião o ministro Blairo Maggi destacou que "nós temos que criar condições para evitar que a doença chegue ao país ou que seja minimizada, cuidando com toda a atenção e fazendo o monitoramento".
 
Maggi ainda afirmou que as medidas a serem adotadas pelo Brasil “vem ao encontro da preocupação com a incidência da gripe aviária no mapa mundial”.
 
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento declarou ainda que "quem descumprir prazo, não poderá comercializar.
 
A reunião contou com a presença de mais de 40 representantes da agroindústria e de associações ligadas ao setor.
 
O presidente-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e ex-ministro da Agricultura, Francisco Turra, observou no encontro que Todas as mudanças foram amplamente discutidas ao longo dos últimos dois anos com profissionais do setor e pelo nosso Grupo Estratégico de Prevenção de Influenza Aviária (GEPIA). O Brasil é o líder mundial na exportação de frango, e reforçar o controle e a segurança fará com que a gente expanda ainda mais".

Comentários no Facebook

Sitevip Internet