Olhar Agro & Negócios

Domingo, 31 de maio de 2020

Notícias / Pecuária

Vacinação contra febre aftosa na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia será acompanhada pelo Indea

Da Redação - Viviane Petroli

27 Abr 2017 - 14:03

Foto: GCom/MT

Vacinação contra febre aftosa na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia será acompanhada pelo Indea
A vacinação do rebanho bovino e bubalino de Mato Grosso na região de fronteira com a Bolívia será acompanhada por 20 médicos veterinários e 23 agentes fiscais do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea). Ao todo 20 equipes percorrerão 964 propriedades rurais entre os municípios de Cáceres, Porto Espiridião, Pontes e Lacerda, e Vila Bela da Santíssima Trindade.

Leia mais:
MT espera vacinar 30 milhões de cabeças de bovinos contra aftosa de mamando a caducando em maio
 
A imunização dos animais de mamando a caducando começa no dia 1º de maio e segue até o dia 30 do referido mês. A projeção é que 30 milhões de cabeças sejam vacinadas, das quais aproximadamente 3,371 milhões estão localizadas entre os municípios que terão a ação acompanhada pelo Indea.
 
Cáceres possui o maior rebanho com cerca de 1,133 milhão de cabeças, seguido de Vila Bela da Santíssima Trindade com 1,003 milhão. Já em Pontes e Lacerda são 668.902 animais e em Porto Esperidião 585.925.
 
Mato Grosso possui o maio rebanho comercial do Brasil e está há 21 anos livre da febre aftosa com vacinação. O Estado tem como meta extinguir a vacinação contra a doença até 2021. No país o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) espera até 2023 conquistar o status de zona livre da aftosa sem vacinação.
 
Conforme o Indea, a região de fronteira com a Bolívia é considerada uma área sensível e que requer maior atenção por parte do serviço veterinário oficial.
 
A autarquia destaca que as propriedades escolhidas para ter acompanhamento durante a vacinação receberão a visita oficial das equipes para o agendamento da data de imunização dos animais.
 
A diretora técnica do Indea, Daniella Soares, pontua que esse é um momento estratégico para a sanidade animal de Mato Grosso.
 
“Estamos caminhando para a retirada da vacinação, e para isso precisamos continuar alcançando índices de vacinação acima de 99%. É uma atividade que tem que ser muito bem executada, e é a oportunidade de atualizar o cadastro de propriedades, uma ferramenta estratégica para a defesa sanitária animal”, observa Daniella Soares.
 
Como o Agro Olhar já comentou, em agosto de 2016 o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Governo de Mato Grosso, por meio do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), atenderam pedido do setor pecuário de Mato Grosso e inverteram o calendário de imunização do rebanho bovino e bubalino contra a aftosa. Com a alteração animais de 0 a 24 meses passam a ser vacinados em novembro, enquanto de todas as idades em maio.
 
A alteração deve-se às chuvas intensas em novembro que dificultam o manejo dos animais, além da disponibilidade de pasto ser menor neste período.
 
Segundo o Indea, serão 35 dias voltados para as atividades de fiscalização da vacinação contra a febre aftosa. “Os profissionais do Indea farão vistoria e inspeção clínica de animais para identificar precocemente doenças, investigar possíveis movimentações irregulares de animais e orientar os produtores quanto à sanidade animal e as práticas corretas de imunização do rebanho”, comenta o coordenador de Defesa Sanitária Animal do Indea, João Marcelo Brandini Néspoli.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • PEDRO GETULIO
    27 Abr 2017 às 14:37

    TODAS AS VACINAÇÕES FEITAS NA FRONTEIRA SEMPRE FORAM E SERÃO ACOMPANHADAS PELO INDEA!

Sitevip Internet