Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 25 de maio de 2020

Notícias / Economia

Índios e caminhoneiros liberam tráfego nas BRs após bloqueio

Da Redação - Lucas Bólico / Da Reportagem local - Jonas da Silva

31 Ago 2012 - 10:27

Foto: Lucas Bólico - OD

Caminhoneiros parados na saída para Rondonópolis

Caminhoneiros parados na saída para Rondonópolis

Os trechos das rodovias de Mato Grosso que estavam bloqueados por indígenas e caminhoneiros estão totalmente liberados. Após encontro marcado com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, os índios interromperam o protesto e os caminhoneiros também o fizeram conseqüentemente.

O clima, no entanto, ainda é de dúvida entre os caminhoneiros. A informação oficial de que o protesto acabou já foi repassada, alguns motoristas, no entanto, temem que a liberação seja parcial. “Estou com minha esposa e meus dois filhos (de 3 e 4 anos). Vou esperar mais um pouco e só vou tentar passar quando tiver certeza. Se estivesse sozinho, já tinha tentado passar”, afirmou Hélio Miranda, 28.

O final da paralisação ficou decidido após o governador Silval Barbosa (PMDB), o senador licenciado Blairo Maggi (PR) e o deputado federal Valtenir Pereira (PSB) intervirem junto ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que se comprometeu a ouvir os índios desde que as rodovias fossem liberadas de imediato.

Força da Justiça

Caso os índios não recuassem por bem, o Ministério da Justiça atuaria para retirá-los do local. O encaminhamento foi sugerido pelo ministro da Justiça, em comum acordo com os líderes de Mato Grosso.

"Se eles (índios) não recuarem hoje ainda, amanhã sequer acontecerá a reunião com o ministro que, inclusive, já adiantou a possibilidade de um pedido de reintegração de posse no caso da insistência dos indígenas nesse bloqueio nas rodovias federais", adiantou Maggi à reportagem após sair da reunião.

Por interferência do governador e dos parlamentares, o ministro concordou em abrir receber representantes indígenas em reunião nesta sexta-feira, às 10 horas, no ministério.

“Já tivemos muitos prejuízos e não só econômicos, mas também de ordem e até sociais. Os índios alegam que estarão perdendo área de reserva quando na verdade o Governo está cumprindo uma determinação do STF", esclarece.

Índios das etnias Pareci, Umutina, Miki, Manoki, Bakairi, Bororo e Xikitan participam do bloqueio desde terça-feira (28). Eles protestam contra a portaria número 303 da Advocacia Geral da União (AGU). “Nós tentamos resolver isso de todas as formas, não queríamos bloquear a rodovia, essa era a última opção, mas o governo não nos ouviu”, afirmou Kezoma Pareci, um dois índios da coordenação do bloqueio da BR - 364 em Mato Grosso, no km 360, entre Cuiabá e Rondonópolis.

Dentro os pontos que os índios mais questionam na portaria estão a autorização para a redução de áreas indígenas já demarcadas e o aval para a exploração dos recursos naturais nessas áreas sem autorização dos índios. “Isso fere a Constituição. E a AGU não pode legislar, ela está legislando nessa causa. O que a AGU tem que fazer é cumprir as leis já existentes”, completa.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet