Olhar Direto

Segunda-feira, 17 de junho de 2019

Opinião

Exportar, amor e justiça

Autor: GRACI OURIVES DE MIRANDA

31 Dez 2018 - 08:00

Há no Brasil nítidos sombreamentos que contrasta com a arte das multicores do ecossistema. Principalmente nas propriedades dos exportadores e alguns políticos, eis que, são detentores de grandes extensões de terras no Brasil.

É ridículo o contraste de poucos ricos e muitos famintos.

E, mais ainda, muitos cidadãos dormem no relento e estão famintos. Cadê a fraternidade e uma sociedade justa e igualitária?

Por outro lado, há cidadãos vivendo abaixo da linha da pobreza.

Conforme o IBGE, 05 de dezembro de 2018, no Brasil é evidenciado que 15,2 milhões de cidadoes estão vivendo abaixo da extrema pobreza. O cenário de: Educação, saúde, moradia e ecologia é lamentável.

Quantas famílias sobrevivem dos lixões? Estes humanos em seu cotidiano sobrevivem de reciclagem. E tudo que é lançado como “não vale mais”, e os catadores fazem bom uso.

O Brasil é tão rico em produtos naturais, então a população merece ser tratada com respeito e dignidade.

É cristalino a desigualdade. Existem grupo restrito que tem em seu cotidiano luxo excessivo, enquanto alguns vivem no abandono, e, só com a sonoridades dos ventos.
 E os Poderes?

Deparamo-nos com corpos frágeis, famintos e doentes em muitos bairros e também no centro de Cuiabá, notar-se-á que é pelo consumo de drogas e descaso total dos poderes.

Cadê as políticas públicas para recuperar os dependentes químicos?

E os exportadores? E o Estado? Será que estão preocupados com números de largados e abandonados nas ruas?

Se nós exportamos o melhor que produzimos.

Nós deveríamos ter habilidades para reduzir a quantidade de famintos que existem no estado brasileiro.

Tendo em vista que somos atuantes no quesito exportação. Necessitamos ter equilíbrio para atuar junto as famílias necessitadas.  Assim, modificar a paisagem das cidades, fazendo com que cada um dos cidadãos receba assistência e tratamento adequados.

A cada dia sentimos o crescimento do número de pessoas evidenciando que as autoridades devem adotar emergente políticas públicas para erradicar a fome, assim elaborar ações de apoio aos usuários de drogas e famintos.

A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 é transparente quando o Preâmbulo diz “(...)assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada harmônica social e comprometida(...)”.

Poderes, celeridade para cumprir a Constituição.
 

GRACI OURIVES DE MIRANDA é professora Português/literaturas: Língua Portuguesa e inglês/literatura inglesa. Registro LP9614565/Demec/SP-SP.  Especialização História Social - UFMT. Curso - USP-SP: “Prática de ensino da língua inglesa”. 02 artigos científicos - UFMT. 04 Livros publicados, sendo 1 - obra científica
go.miranda@uol.com.br
 
Sitevip Internet