Olhar Direto

Segunda-feira, 17 de junho de 2019

Opinião

O dia depois do amanhã das eleições

Autor: Eustáquio Rodrigues Filho

10 Jan 2019 - 08:00

ronograma das eleições brasileiras de acordo com a grande maioria dos candidatos tupiniquins:
 
1 Ano antes das eleições
 
O que diz o candidato: Eu não sou candidato a nada, quero cuidar da minha vida, da minha família, dedicar mais tempo aos filhos. Quero distância da política, pois é algo muito desgastante e não desejo me envolver novamente com as coisas públicas.
 
A verdade: Ainda não consegui um grupo patrocinador para bancar as despesas da minha candidatura. Os grupos atuais estão fechados com os candidatos que estão em alta nas pesquisas e os Departamentos de Caixa 2 das empresas ainda estão avaliando quantos candidatos poderão patrocinar.
 
6 meses antes das eleições
 
O que diz o candidato: Conversei com minha família, minha esposa, meus filhos e decidimos lutar por um Brasil melhor. Acredito que podemos contribuir e muito para com a população, que está carente de bons políticos, de bons gestores, que tratem a coisa pública com respeito e dignidade.
 
A verdade: Fechei com um grupo de empreiteiros e um setor exportador de commodities que vão investir na minha campanha, com a promessa de algumas Medidas Provisórias e Decretos que vão beneficiar esses setores. Além disso, as muitas licitações direcionadas vão dar um retorno em dobro aos que vão investir nessas eleições. Estou dentro, ah ah ah!
 
3 meses antes das eleições
 
O que diz o candidato: Vou pagar os salários em dia. É meu compromisso de campanha com o servidor público. Vou fazer valer a RGA, pois é um direito do servidor. Vou abrir 6 hospitais novos. Vou eliminar 5.000 cargos comissionados para economia no setor público. Vou negociar o duodécimo com os poderes. Vou fazer a reforma da previdência para todos, sem exceções. Vou colocar pessoas técnicas e de alto nível no primeiro escalão, de reputação ilibada e sem problemas com a justiça.
 
A verdade: Salário em dia só se triplicarmos a arrecadação, mas na verdade eu não tenho a mínima informação de como estão as contas públicas. RGA? O que é isso mesmo? Marca de gravadora de disco? Se eu abrir 3 postos de saúde a população já estará no lucro. Vou eliminar 5.000 cargos comissionados e recontratar 7.000, pois a minha turma precisa entrar nessa farra. Vou aumentar o duodécimo para os poderes pegarem leve comigo. Vou fazer a reforma da previdência para todos, menos para os militares, os parlamentares, juízes, meus parças da pescaria, minha sogra e meu cunhado. Vou colocar no primeiro escalão pessoas de partidos que me apoiarem e não me importa se possuem a ficha suja, imunda, enlameada...
 
1 dia antes das eleições
 
O que diz o candidato: A vitória é nossa! Nossas propostas foram as melhores.
 
A verdade: Compramos 1/3 dos eleitores.
 
 
1 dia após as eleições
 
O que diz o candidato: A vitória é nossa. É a vitória da democracia. A vontade do povo foi ouvida.
A verdade: A vitória é nossa. É a vitória de quem teve mais dinheiro para campanha. A vontade das empreiteiras e dos setores exportadores que me apoiaram foi obedecida.
 
 
3 meses após as eleições
 
O que diz o candidato: O governo passado deixou muitas dívidas. Estamos quebrados. Vai ser necessário 1.000 anos para consertar tudo e deixar as contas em dia. Por isso vamos escalonar os salários, RGA somente quando tivermos disponibilidade financeira. Precisamos do sacrifício de todos, pois a situação é crítica.
 
A verdade: O governo passado deixou muitas dívidas, como todos os governos anteriores, porém preciso cumprir com o compromisso que fiz com as empreiteiras e os setores exportadores. Vamos escalonar os salários apenas dos servidores do executivo, pois são confusos, desunidos e não têm força política para me atingir. Se entrarem em greve, mando a polícia baixar o sarrafo. Precisamos do sacrifício somente do pessoal do executivo, pois não posso me indispor nem com o judiciário e nem com o legislativo, senão estou ferrado.
 
4 anos após as eleições
 
O que diz o candidato: Foi bom ter tentado a reeleição, apesar de ter perdido. Desejo ao povo e ao candidato eleito que tenham sorte e façam um bom governo.
A verdade: Povo "miserávi". Vão pra ponte que caiu todo mundo!
 
 
Eustáquio Rodrigues Filho é Cristão, Servidor Público e Escritor. Autor do livro "Um instante para sempre". Instagram: @eustaquiojrf.
Sitevip Internet