Olhar Direto

Quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Opinião

Divórcio

Autor: Dra. Ana Lúcia Ricarte

14 Fev 2019 - 08:00

Este texto sobre o divórcio é resultado das minhas observações enquanto mulher e advogada, pois nestes 25 anos de profissão tenho ouvido e assistido mulheres e casais  que se divorciam.

Gostaria de ter uma fórmula para amenizar a dor e a angústia de todos que me procuram, no entanto isto não é possível. Assim, resolvi escrever sobre as minhas reflexões e dicas sobre esta fase difícil como uma forma de ajudar as minhas leitoras a refletirem sobre o divórcio.

O Divórcio equivale ao óbito do casamento, pois o sentimento é muito parecido com a perda e a tristeza de quando perdemos um ente querido.

Para o direito no Brasil o divórcio põe termo ao casamento, e não precisa sequer do consentimento da outra pessoa, pois a nova redação do §6º do artigo 266, da Constituição Federal, criada pela Emenda Constitucional 66/2010, dispensa qualquer requisito para a decretação do divórcio, direito que pode ser exercido pela simples manifestação de vontade de uma das partes.

Os julgadores estão considerando o caráter absoluto do direito ao divórcio, por tratar-se de direito potestativo. Assim, sequer a recusa de uma das partes é levada em consideração.

Na realidade quando nos casamos  temos o propósito de construir uma vida a dois, construir uma família completa e feliz. Esta construção feita com base em um contrato tem o escopo social de relacionamento familiar indestrutível e duradouro.

Não nos casamos pensando em nos divorciar, e assim nos lançamos de corpo e alma neste relacionamento familiar, e nele sonhamos e construímos uma vida com o objetivo principal de sermos felizes.

Para garantir esta felicidade  sabe o que fazemos? Nós acreditamos no outro, entregamos nossa melhor parte humana ao outro e confiamos muito no outro. Afinal, encontramos o nosso amor para uma vida toda e como ele poderia magoar??? Como ele poderia me trair? Como ele poderia me roubar? Como ele poderia tirar meus filhos e minha casa?

É leitora, acreditamos que tudo isso somente acontece com a outra e por vezes falamos:  "Nossa, coitada, esta não teve sorte!"

Ocorre, que o divórcio assim como qualquer fato triste e devassador pode acontecer com qualquer uma de nós e  não há como prever. No caso de evitar, a única alternativa é não casar.

Muitas vezes a mulher deposita toda a sua felicidade  no parceiro ou nos outros membros da família, e muitas vezes a mulher é levada a pensar que não é um ser completo e que não é possível ser feliz sem ele.

Quando todo o projeto familiar, ou seja: os sonhos, todo o investimento de tempo, amor, paixão, renúncias e muita paciência são rompidos pelo companheiro por alguns motivos comuns, quais sejam: pelo fato dele não mais amar ou mesmo pelo encanto por outra pessoa,  o divórcio acontece  e consequentemente o óbito do casamento.

Processar este óbito não é fácil, necessita-se de um tempo de luto que pode variar de acordo com cada pessoa.

No entanto, para que este luto não seja ainda mais traumático e doloroso algo pode ser feito por você mesma, além é lógico de contratar uma boa Advogada.

Inicialmente, cuide de seu patrimônio e dos seus direitos, não tome decisões precipitadas, converse com quantos profissionais do direito for necessário e  antes de assinar qualquer documento ou atitude que poderá lhe causar arrependimentos no futuro

Lembre-se! Não fique mais triste do que rica. Este jargão é uma realidade.

Ainda, procure ter equilíbrio para "entrar" em um processo judicial, é fundamental para esta fase estar mais consciente e menos emotiva.

O processo de luto não é e nem deve ser tão rápido, ele deve ser processado com muito equilíbrio, inteligência, e acima de tudo confiança.

A primeira fase do divórcio na maioria das vezes está na aceitação do fato de que o relacionamento acabou.

Quer saber mais? De nada adianta ficar remoendo o que ele fez, porque ele fez e como tudo foi feito, o mais importante é ter respeito pela sua história, ainda que você tenha sido enganada, pois para você tudo foi real e pronto.

Aceitar o divórcio é iniciar um processo muito interessante na sua vida, de que uma nova porta de oportunidades se abriu. Eu sei que não é fácil, e nem é tão rápido, mais é preciso e possível pensar assim.

Se acreditar que o divórcio concede novas oportunidades incríveis tais como: a de aprender com a dor, com a decepção, de encontrar um novo amor, de viajar sozinha, de mergulhar no autoconhecimento, de rever paradigmas, de iniciar projetos de trabalho, de sair do anonimato profissional, você terá  um processo muito menos doloroso e muito aproveitável. Vale o pensamento de Nietzsche : "Aquilo que não me mata, só me fortalece" e como fortalece!

Aceitar o divórcio é não ficar remoendo dores o tempo todo, é limpar sua mente e deixar que o universo entre. Agradeça o seu passado, reveja suas prioridades, conheça-se melhor, procure Deus e com isso saiba que você poderá obter um resultado gratificante desta fase de sua vida.

Recomendo algumas dicas:

1 – Não se atire em outro relacionamento correndo como se fosse um malabarista de circo desesperada, somente volte a se relacionar com alguém se tiver certeza que o luto foi cumprido e que você está pronta. É claro que existem algumas exceções e surpresas que a vida nos presenteia. 

2 - Nada de se lamentar ou de se fazer de vítima o tempo todo, pois se você fizer isso por muito tempo até seus amigos irão se afastar, além de começarem a achar que você é um problema e que seu ex tinha razão.

3 - Aproveite esta fase da sua vida para refletir, para rir com as amigas, para cuidar de si, rever suas prioridades e para o autoconhecimento.

4 – Não fique brigando com seu ex o tempo todo, lembre-se de que não existe tragédia de causa única, você também poderia deixar de amá-lo.

5 – Não fique triste o tempo todo, principalmente perto dos filhos. Lembre-se os filhos precisam de pais felizes, não é o divórcio que irá entristecê-los, mais a forma como você irá encará-lo.

6 – Lute contra a culpa ou medo, estes sentimentos são paralisantes, assuma a responsabilidade sobre a sua vida.

7 -Fique linda, maravilhosa para você, nada de perder a autoestima.

8 - Busque se espiritualizar.

Enfim, pode acreditar o Luto passará, ele sempre passa, a diferença é o que ficará em você, pois se for inteligente e autoconfiante você sairá renovada.


Dra. Ana Lúcia Ricarte, Advogada, membro do IBDFAM (Instituto brasileiro de direito de família) e diretora da IAMAT (Instituto dos Advogados Mato- Grossenses).
Sitevip Internet