Olhar Direto

Quarta-feira, 17 de julho de 2019

Opinião

Ato de bravura

Autor: Elizeu Nascimento

03 Jul 2019 - 08:00

 

Na condição de deputado estadual, após obtenção de uma votação expressiva, sendo votado em 140 municípios do estado; obtendo 21.347  votos válidos, contando com o apoio maciço dos familiares, além, dos diferentes segmentos sociais, amigos, e principalmente da nossa gloriosa Polícia Militar, na qual, fiz carreira e trabalhei bravamente em prol da sociedade organizada.

Pegando esse gancho, no tempo em que estive à frente da nossa gloriosa Polícia Militar, vivenciei momentos difíceis e outros gratificantes, tendo conhecimento de causa e efeito, das reais dificuldades enfrentadas pelos policiais.

Quero externar, meu apreço e carinho ao meu irmão de farda, 3º Sargento PM, Paulo Padilha Nogueira, que em ato de bravura, colocou sua vida em risco, visando apagar um incêndio de gravíssimas proporções, salvando vidas.

 Em nossas vidas, estamos sujeitos a diferentes situações inesperadas, inusitadas e algumas comprometedoras, principalmente quando estas, colocam em risco vidas e patrimônio, ai a coisa muda de figura.

 Agora, quando ocorre um sinistro mais grave, como um incêndio de gravíssimas proporções, ai é que se vê a importância de um ser humano comprometido com as questões de segurança; não é pelo fato de se tratar de um policial militar, falo de alguém, preocupado com a vida do próximo e preservação do patrimônio público.

No dia  12 de maio de 2019 ocorreu um sinistro ocasionado por incêndio, no bairro Planalto, nas proximidades  do Juizado da Infância e Juventude da Comarca de Cuiabá, momento em que, o policial militar 3º Sargento PM, Paulo Padilha Nogueira, desempenhava suas funções de segurança patrimonial desse órgão público.

Presenciando o incêndio na vegetação seca, que acabou propiciando maior combustão, apresentando dimensões preocupantes, pela altura das labaredas, que colocaria em risco, residências entre outros, nas imediações do seu local de trabalho.  Este fogo, não colocaria em risco apenas o patrimônio público, como também, oferecia risco de morte a populares.

Num primeiro momento, usando das prerrogativas institucionais de policial militar, de imediato, acionou o Corpo de Bombeiros Militar. Enquanto, aguardava a chegada do mesmo, foi fazer o reconhecimento da área circunvizinha, que poderia também ser afetada pelo incêndio e constatou haver ali, a "Escola Meninos do Futuro".

Sargento Paulo, tomado por um elevado sentimento de cumprimento do dever, visando à preservação da incolumidade de todas aquelas vidas, postas em risco, passou a buscar alternativas para conter o aumento das chamas.

Utilizando extintores de incêndio, após pular o muro, os aplicou em direção ao fogo, este método não surtiu efeito desejado, o mesmo, passou a usar a técnica do abafamento usando galhos batendo contra o mato pegando fogo.            

A intensidade das chamas e, a grande quantidade de fumaça passou a preencher a parte interna da escola, sabendo disso ficou ainda mais preocupado, principalmente ao perceber a presença de funcionários no interior das salas, alguns deles, já se asfixiando pela inalação de fumaça, o mesmo adentrou a escola, conseguindo retirar 6 pessoas.   

Outro fator preocupante foi constatar que no interior do recinto, havia recipientes contendo produtos de pintura inflamáveis, tais como tinta e tíner, bem como, instrumentos plásticos da fanfarra, que poderiam expandir o incêndio.

Ações dessa natureza, não só dignificam  o policial Paulo Padilha Nogueira, como também a nossa gloriosa Polícia Militar, que está sempre, no enfrentamento de situações perigosas, nas quais os policiais colocam suas vidas em risco, em prol da sociedade. Por isso, este ato de bravura não é um fato isolado, ele, é extensivo a todos os policiais militares, que atuam diuturnamente no enfrentamento contra bandidos, para salvaguardar a população de bem do nosso estado.

O cair é do homem, o levantar é de Deus!

Elizeu Nascimento

Sitevip Internet