Olhar Direto

Terça-feira, 20 de outubro de 2020

Opinião

Envelhecer bem para ser saudável ou ser saudável para envelhecer bem?

Autor: Camila Delgado

24 Dez 2019 - 08:00

Em 2060, um quarto da população terá mais de 65 anos. Isso significa que nosso olhar, em todas as áreas, vai se voltar para esse grupo. A cada minuto que passa ficamos um minuto mais velhos e cuidar da saúde é necessários todos os dias, pensado que nos próximos anos os idoso serão uma grande parcela dos habitantes. 

Um fator muito importante quando se quer ter uma velhice mais saudável e com autonomia é manter a alimentação a mais limpa possível. Hoje, 30% dos mato-grossenses estão acima do peso, por conta da má alimentação. Comer errado, além de gerar doenças relacionadas à obesidade, também leva à deficiência de vitamina D, essencial para o fortalecimento dos ossos e contribui para regulação do sistema imunológico, além de combater a obesidade.

A carência dessa vitamina é muito recorrente entre a população idosa, um exemplo dessa escassez é o número de idosos que sofrem acidentes domésticos. Muitas vezes isso ocorre pela perda de massa óssea, a osteopenia, e massa muscular, caracterizada pelo envelhecimento e aceleradas pela falta de vitamina, a sarcopenia.

Outras complicações como mudança de paladar e complicações na dentição dessa população, com uso de prótese dentárias, também são fatores que interferem na boa alimentação. Mais do que nunca, o nutricionista deve acompanhar esse grupo de pacientes com mais atenção.

Então vamos levar em conta 10 pontos importantes para o envelhecimento saudável 

A cada minuto que passa, ficamos um 1 minuto mais velhos, ou seja, o primeiro passo é ter uma boa alimentação desde criança.

1- Atividade física: independe da idade, já sabemos que, para estarmos sempre dispostos, o exercício deve fazer parte de uma rotina. Idosos que costumam fazer musculação têm menos chances de quedas e acidentes domésticos

2- Consumir alimentos bons para o cérebro
• Ômega 3 (atum, salmão, sardinha e derivados de alimentos do mar)
• Fontes vegetais de Ômega 3, 6 e 9, como linhaça, algas, óleo de borragem e prímula.

3- Alimentos amigos do intestino: fibras como aveia, quinoa, frutas e verduras.

4- Hidratação: água é importante para hidratação e manutenção de rins, músculos e células.

5- Alicerces para nossos músculos: proteínas  sejam elas de fonte vegetal ou animal. É muito importante levar em consideração o tipo de corte para facilitar a digestão e  a mastigação.

6- Energia para células e hormônios : gorduras também são importantes. Os grupos de gorduras de fácil digestão e não transgênica, como óleos vegetais azeite, abacate, linhaça são essenciais para manutenção da proteção térmica, nervos e neurônios, como também formação de substâncias celulares.

7- Manutenção e vitalidade celulares: vegetais verdes escuros, como espinafre, brócolis, couve, rúcula agrião, que são também fontes de cálcio e ferro

8- Fitoterapia: alguns chás, como o verde, ou o chamado camellia sisenis, são importantes para vitalidade no foco e atenção pois possuem uma substância conhecida como l-teanina muito usada pelas células como melhora da concentração.

9- Vitaminas lipossolúvel e minerais para saúde óssea: castanhas  e sementes de forma geral, fontes ricas em magnésio, manganês, cálcio, vitamina E, vitamina D presente em lácteos e por meio do sol.

Alimentos que combatem a Depressão:

10 - Grãos como grão de bico, lentilha feijões, banana, peixes, amendoim são produtores de serotonina. Esse hormônio é importante para o bem estar físico, mental e de relaxamento.

É importante alertar que, nessa fase, hormônios também ficam comprometidos. Um acompanhamento médico é essencial para manutenção hormonal, até porque é muito comum entre os idosos doenças psicológicas como a depressão. Outro fato é a perda de memória, por isso é importante manter essa população envolvida com atividades que desenvolva a criatividade. 

A nutrição avançada também preconiza a importância da saúde intestinal em todas as fases da vida. Isso porque temos grupos de bactérias que protegem nosso corpo de doenças, e é lá que as bactérias se proliferam, tantos as boas e quanto as ruins. A saúde intestinal é tão importante quanto a saúde cerebral. As duas andam juntas. 

Por tanto, ser um idoso saudável é um trabalho diário. Do nascimento à fase adulta. Ser um idoso com mais vitalidade depende do que se faz agora.

CAMILA DELGADO é nutricionista com especialidade em nutrição esportiva e compartilha muitos conteúdos sobre alimentação, exercícios e estilo de vida nas redes sociais @camiladelgadonutri.
Sitevip Internet