Olhar Direto

Domingo, 23 de fevereiro de 2020

Opinião

Meninas unidas em rede nacional

Autor: Michelle Leite de Barros

06 Fev 2020 - 08:00

Quando assistimos a um reality show, estamos também tentando entender como funciona a mente e o comportamento das pessoas para as mais diversas situações. As participantes mulheres do Big Brother Brasil 20 têm dado um show de sororidade e demonstrado que para cima delas o machismo não se cria.
                       
Um determinado grupo de homens criou a estratégia de “dar em cima” de duas das meninas comprometidas para que elas traíssem seus namorados e “se queimem” para o Brasil. Este plano foi relatado para Marcela, que de imediato não concordou e disse que isso vai contra tudo que ela é e tudo que ela pensa.
                       
Marcela depois de um tempo resolveu contar para o restante das mulheres a tática desses determinados homens. Algumas choraram, algumas ficaram horrorizadas, algumas não acreditaram que tamanha baixaria pudesse ser feita, mas todas foram lá confrontá-los.
                       
Hadson, que foi o criador do plano, negou tudo e ainda tentou reverte a situação. O que ele fez se chama “gaslighting”, que se trata de uma forma de abuso psicológico em que informações são distorcidas ou omitidas a fim de favorecer o abusador ou fazer a vítima duvidar de si mesma.  Hadson é o mais puro retrato do homem machista que temos que conviver dia a dia na nossa sociedade. Aquele sujeito que ofende, humilha, rebaixa, subestima as mulheres a fim de se sentir superior a elas.
                       
Mas não foi ele que fez o pior. Petrix cometeu assédios contra duas das meninas, balançando os seios de uma delas e “esfregando” suas partes íntimas na cabeça de outra, enquanto ambas estavam nitidamente bêbadas e não se lembram de nada. Isso demonstra o quanto alguns homens veem mulheres como objetos e se sentem no direito de cometer tamanhos abusos, pois acreditam na impunidade dos seus atos. Mas não. Petrix foi intimado pela Polícia Civil a depor após as acusações de assédio.
                       
Petrix nem precisou ser retirado da casa do BBB, pois o mundo está mudando cada vez mais e ele foi eliminado em seu primeiro paredão, contra outros três participantes, com rejeição de 80%.
                       
Mulheres se juntaram lá dentro, mulheres se juntaram aqui fora para tirar Petrix. Mulheres lá dentro se juntaram contra Hadson, mulheres estão juntas aqui fora para que Hadson seja o próximo eliminado.
                       
Sabe o que é mais bonito disso tudo? Mulheres acreditaram no que uma outra mulher foi lhes dizer. O “juntas somos mais forte” nunca fez tanto sentido e faz aquecer o coração daquelas que sabem que ser machista nos dias de hoje é repugnante e que estamos fazendo a diferença.
 

Michelle Leite de Barros.
Advogada em Cuiabá – MT.