Olhar Conceito

Colunas

Sonhar é preciso...

Autor: Isolda Risso

04 Mai 2017 - 09:30

Arquivo Pessoal

Dia desses eu me percebi muito irritada, agressiva em alguns momentos, o mundo sombrio e em uma conversa com minha filha ela me disse: “mãe você esta amarga”.
 
A palavra amarga foi como um soco na boca do estômago, eu reconheci que irritada sim, agressiva também, mas amarga por favor, ai já era demais.
 
Lógico que neguei, até porque não tinha me dado conta, mas sim.... fazendo uma reflexão eu constatei  que aquele humor negro dos últimos tempos era o fruto de um profundo ressentimento.
 
O ressentimento nos enche de amargura, de agressividade  impedindo de seguir em frente com a nossa vida.
 
A mágoa nos retém no passado, dificultando as vezes até impedindo o nosso futuro.
 
O exemplo mais evidente é o da construção de um novo casal depois de um rompimento: “enquanto estiverem com raiva daquele ou daquela que os deixou ou que deixaram,  qualquer que seja o mal que essa pessoa tenha causado, é impossível estabelecer uma relação harmoniosa e sadia com outra pessoa”.
 
Todos nós veiculamos sofrimento, e alguns são profundos, mas com o tempo é preciso aprender a fechar as feridas, afinal só podemos vislumbrar outros horizontes se caminhar para a frente e não ficarmos presos ao que passou.
 
Não é apenas o passado que tem a capacidade de poluir nossa vida, o futuro pode ser igualmente paralisante.
 
Todos temos uma propensão a nos projetar no futuro, e uma das maneiras como a fazemos, á primeira vista positiva, é o sonho.
 
Sonhamos com a casa que gostaríamos de ter, com a profissão que gostaríamos de exercer, com a família que desejaríamos fundar.
 
Isso pode nos deixar felizes enquanto sonhamos, certas pessoas de tal maneira se deixam transportar pelo imaginário que acabam esquecendo o presente.
 
Em outras palavras, nada fazem para que esse sonho se torne realidade, se contentam com o prazer de sonhar e depois se lamentam com a pouca sorte que tiveram.
 
Precisamos sonhar, mas também devemos desconfiar dos sonhos que constituem uma espécie de substituto do mundo real, podendo nos impedir de agir ao nos manter em nosso imaginário e nos embalar em doces ilusões.
 
*Isolda Risso é Personal & Professional Coaching Executive, Xtreme Life Coaching, Neurociência no Processo de Coaching, Programação Neurolinguística (PNL) pedagoga por formação, cronista, retratista do cotidiano, empresária, Idealizadora do Café Com Afeto, mãe, aprendiz da vida, viajante no tempo, um Ser em permanente evolução. Uma de suas fontes prediletas é a Arte. Desde muito cedo Isolda busca nos livros e na Filosofia um meio de entender a si, como forma de poder sentir-se mais à vontade na própria pele. Ela acredita que o Ser humano traz amarras milenares nas células e só por meio do conhecimento, iniciando pelo autoconhecimento

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet