Olhar Conceito

Notícias / Arquitetura, décor e design

xama

Obras de arquitetura mato-grossenses integram exposição nacional

Da Redação - Isabela Mercuri

30 Jul 2018 - 09:24

Obras arquitetônicas que integram a exposição

Obras arquitetônicas que integram a exposição

Três obras mato-grossenses integram a ‘Exposição de Arquitetura Contemporânea da Amazônia’ (Xama), que acontece de 13 de agosto a 19 de setembro em Manaus (AM). A mostra une 30 obras construídas de 1987 a 2017 na Amazônia Legal.

Leia também:
Corretor de imóveis traz conceito norte-americano de ‘Open House’ a Cuiabá

A Casa GB, feita entre 2007 e 2009, é uma das mato-grossenses. Projetada pelos arquitetos Éder Bispo e Marcia Miranda, ela é uma “Casa contemporânea com referência nas antigas casas "cuiabanas", com pátio, varanda, grandes aberturas para ventilação e iluminação naturais”.


 
Outra construção escolhida foi o Centro Sebrae de Sustentabilidade, do arquiteto José Afonso Botura Portocarrero. “Tem conceitos na arquitetura sustentável e com resgate das culturas indígenas brasileiras. Foi  construído com estratégias de conforto térmico para o clima tropical e com mínimos impactos ambientais”.

 
Por fim, o escritório Carmo Advogados, feito entre 2010 e 2011, e também de Éder Bispo e Marcia Miranda, também foi uma das edificações escolhidas. “Arquitetura corporativa com máximo aproveitamento do terreno e de espaços internos, com eficiência energética, sustentabilidade e sistema construtivo racionalizado”.


 
Xama
 
De acordo com a assessoria do Conselho Regional de Arquitetura e Urbanismo (CAU), a exposição é organizada pela ‘Nama’, um núcleo formado pela reunião de grupos de pesquisas das universidades públicas, artistas e arquitetos que buscam a documentação, divulgação e preservação da arquitetura moderna na Amazônia.
 
Junto a ela, começa também o ‘7º Seminário Docomomo Brasil Norte-Nordeste’, que será realizado pela primeira vez no norte do pais. O seminário inclui debates, mesas redondas, lançamentos de publicações e visitas a algumas obras ícones.
 
Neste ano, seu tema é ‘Tradição Nativa, Universalidade e Conservação’, o que é transversal aos três eixos propostos para os trabalhos: Modernidade, Lugar e Ambiente / Trajetórias Profissionais e Documentação e (Re)Utilização do Patrimônio Moderno.
 
Mais informações pelo SITE

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet