Olhar Conceito

Notícias / Cinema

Diretor de ‘Dois Papas’ e 'Cidade de Deus' cita mato-grossense como ‘promessa’ do cinema nacional

da Redação - Isabela Mercuri

31 Dez 2019 - 14:04

Foto: Reprodução / Youtube

Diretor de ‘Dois Papas’ e 'Cidade de Deus' cita mato-grossense como ‘promessa’ do cinema nacional
Em uma entrevista concedida ao site especializado ‘Omelete’, o cineasta Fernando Meirelles, diretor do recém-lançado ‘Dois Papas’, citou o mato-grossense Bruno Bini como uma grande aposta do cinema nacional.

Leia também:
Cuiabano dirige filme co-produzido pela Globo Filmes e com Bruno Gagliasso como ator principal

Bini foi o único nome dito pelo cineasta quando o jornalista Marcelo Forlani perguntou: “Como vem a base? Como você vê essa nova safra de cineastas?”. A resposta: “Na o2 a gente tem muitos diretores, que e acompanho. Eu era da ‘Globo Filmes’ e saí, mas também acompanhei alguns diretores novos, produzir alguns para o Bruno Bini, que está lançando um filme agora no Festival de Brasília. Eu acho que a gente deu um belo pulo. O que a gente tinha de colegas há 15 anos atrás, e a molecada que está entrando no mercado agora, é uma evolução incrível. Os caras conhecem linguagem, conhecem fotografia, conhecem... enfim, só me surpreendo positivamente com a geração nova de fotógrafos e diretores”.

Meirelles e Bini trabalharam juntos no filme ‘Loop’, lançado no último mês no Festival de Brasília. Com Bruno Gagliasso como ator principal e Cuiabá como pano de fundo, a produção teve supervisão artística de Meirelles, e direção de Bruno Bini.

Bruno Bini (Foto: Arquivo Pessoal)

Bruno é cuiabano, e já recebeu 47 prêmios por seus curtas em diversos festivais em todo o mundo. ‘Loop’ conta a história de um rapaz que fica obcecado com a ideia de voltar no tempo depois que a namorada morre. Segundo Bruno, “Durante esse processo a investigação do assassinato da namorada ele acaba descobrindo que isso [o assassinato] pode ter relação com uma tragédia pessoal dele”, explica. “É um filme que, dentro da narrativa, as coisas vão se interligando, você vai descobrindo junto com o personagem”. Segundo o diretor, a trama é uma “ficção científica realista” com toques de suspense.

Conhecido por produções como Cidade de Deus, Ensaio Sobre a Cegueira, dentre outros, Fernando Meirelles é um renomado cineasta brasileiro. Em 2019 lançou ‘Dois Papas’, pela Netflix, com Anthony Hopkins e Jonathan Pryce no elenco. O filme recebe quatro indicações ao Globo de Ouro, e é um dos favoritos à indicação ao Oscar.

Diz a sinopse: “Buenos Aires, 2012. O cardeal argentino Jorge Bergoglio (Jonathan Pryce) está decidido a pedir sua aposentadoria, devido a divergências sobre a forma como o papa Bento XVI (Anthony Hopkins) tem conduzido a Igreja. Com a passagem já comprada para Roma, ele é surpreendido com o convite do próprio papa para visitá-lo. Ao chegar, eles iniciam uma longa conversa onde debatem não só os rumos do catolicismo, mas também afeições e peculiaridades da personalidade de cada um”.

Veja a entrevista do diretor sobre o filme – em que ele cita Bruno Bini:

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Rodrigo
    02 Jan 2020 às 07:13

    Não é nenhum segredo que o referido cineasta cuiabano foi assessor de marketing político em 2012 do atual governador Mauro Mendes (a não ser que haja outra pessoa com nome de Bruno Bini). Constrangedor nesta matéria do OD é que um cineasta busque dizer a importância um do outro através de elogios recíprocos, pois o próprio texto deste Olhar Direto informa que Meireles e Bini trabalharam juntos num dos filmes produzido. O Correio Braziliense informa que Loop foi feito a partir de "edital local" (leia-se dinheiro público do contribuinte mato-grosssense). Bobagem um cineasta ficar elogiando o outro, sendo que um contrata o outro e que no MT se faz cinema com dinheiro público, sendo o cineasta cuiabano assessor de marketing do governo que cede os recursos através de edital local. O mesmo governo que desafina na área de Educação. Viva o "cinema cuiabano", que nasce tão próximo ao poder e nele pendurado. Que orgulho do cinema produzido na capital do estado. Beijos de Sinop.

  • Rodrigo
    01 Jan 2020 às 08:21

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Mentos
    01 Jan 2020 às 00:14

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Chico Bento
    31 Dez 2019 às 23:13

    Bem, vou assistir para ver se gosto.

  • Marta Ceni
    31 Dez 2019 às 16:49

    Esse estado ridículo e pobre? Faz me rir.

Redes Sociais

Sitevip Internet