Olhar Conceito

Sábado, 28 de novembro de 2020

Notícias / Cinema

Cineclube Coxiponés exibe filmes vencedores da 19ª Maual a partir desta terça-feira

Da Redação - José Lucas Salvani

13 Out 2020 - 11:25

Foto: Reprodução

Cineclube Coxiponés exibe filmes vencedores da 19ª Maual a partir desta terça-feira
O Cineclube Coxiponés irá exibir, a partir desta terça-feira (13), cinco curtas premiados na 19ª Mostra de Audiovisual Universitário e Independente da América Latina (Maual). A exibição dos curtas acontece até o final de outubro, como programação complementar da Mostra e faz parte da Temporada de Curtas Online. Para assistir, clique aqui.

Leia mais:
Filme com Bruno Gagliasso gravado em Cuiabá é selecionado para festival em Los Angeles

Para esta semana, cinco curta-metragens foram selecionados. Serão exibidos os mato-grossenses “Pi'õ Rómnha Ma'ubumrõi'wa - Mulheres Xavante Coletoras de Sementes” e “Sempre Foi Assim”, vencedores do prêmio Melhor Curta de Resistência e Documentário Independente Mais Visualizado da Mostra, respectivamente; “Nadir”, eleito o Melhor Documentário Independente; “Imagens de um Sonho”, eleito pelo júri oficial como Melhor Documentário de Imagens de Arquivo; e “Da Grade Pra Cá”, também premiado como Documentário Mais Visualizado da Mostra.

Realizada pelo Cineclube Coxiponés da Universidade Federal de Mato Grosso através da Coordenação de Cultura da Pró-Reitoria de Cultura, Extensão e Vivência da Universidade Federal de Mato Grosso (PROCEV), a 19ª Maual contou com a parceria dos Cursos de Radialismo & de Cinema e Audiovisual da UFMT, ComunicArte UFMT, Cine Teatro Cuiabá, Coletivo de Audiovisual Negro Quariterê, Produtora Experimental Pequi com Câmera, Sessão Belo Belo, Cena Livre de Teatro, Ixpia O Festival, CTAV (Centro Técnico Audiovisual do Ministério da Cidadania), Rede Cineclubista de Mato Grosso (REC-MT) e Associação Mato-Grossense de Audiovisual (MTCINE).

Sobre os curtas

"Pi'õ Rómnha Ma'ubumrõi'wa - Mulheres Xavante Coletoras de Sementes" (Danielle Bertolini, MT, 2020, 13', classificação indicativa livre) acompanha o grupo Pi’õ Rómnha/ Ma’ubumrõi’wa, das coletoras Xavante da Terra Indígena Marãiwatsédé, localizada no município de Bom Jesus do Araguaia e que destina todas as sementes coletadas para a restauração das áreas dentro e adjacentes à Terra Indígena. O grupo começou em 2011 quando coletores da ARSX visitaram a aldeia e apresentaram o trabalho aos Xavante, abrindo a possibilidade de criar um grupo de coleta e venda das sementes. 0.

"Sempre foi assim" (Lucas Bezerril, MT, 2020, 02', classificação indicativa livre), apresenta um relato sobre temores e angústias de uma mãe no momento de ciência da maternidade. 

"Nadir" (Fábio Rogério, SE, 2019, 15', classificação indicativa 10 anos) apresenta um olhar afetivo sobre o cotidiano de Nadir, mestra de cultura popular de uma comunidade quilombola do interior de Sergipe. A música de Nadir e seus silêncios.

"Imagens de um sonho" (Leandro Olimpio, SP, 2019, 20’, classificação indicativa livre) é composto de vídeos publicados no YouTube por terceirizados da Petrobras. O curta explora um capítulo importante do país através de fragmentos da vida operária dentro e fora da fábrica. Com suas próprias mãos, a classe trabalhadora registra - ao longo de uma década (2008-2018) - as alegrias e dissabores de sua jornada. 

A equipe de Da Grade pra cá (Wesdras Aklen, Larissa Bela Fonte & Nayara Demari, SP, 2019, 29', classificação indicativa 10 anos) mergulha nas realidades e lutas de companheiros de presidiários das penitenciárias de Itirapina-SP, ao lidar com as relações de liberdades e prisões na rotina de dias de visitas, acompanhando Juliana, Manoel “Xuxa” e “Paolla” “Letícia Spiller”.
 

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet