Olhar Conceito

Quarta-feira, 17 de agosto de 2022

Notícias | Artes Cênicas

Preparativos finais

Espetáculo une memórias e performances em apresentações de contos negros

Foto: Reprodução

Espetáculo une memórias e performances em apresentações de contos negros
Andreel Ferreira, Danielle Souziel, Maykon Kastrovicky e Vinicius Brasilino se preparam para estrear em março “Contos De Itan e Fábulas de Escrevivências”, com apresentações em Cuiabá e Quilombo Mata Cavalo. Em cena, o quarteto conta histórias reais de crianças negras, rememora fatos históricos de Mato Grosso e aponta saídas e estratégias de luta encontradas pela comunidade negra, como o empoderamento, para combater o racismo enquanto forma de opressão.

Leia também:
Jaciara surgiu após despertar interesse de vendedor de máquinas de costura e se tornou ‘point’ de turismo radical

A diretora do espetáculo, Maria Clara Bertúlio, explica que a montagem teatral tem influências na abordagem do Teatro Negro, que dialoga com histórias locais mato-grossenses e a história pessoal de seus criadores.

“Quando falamos de teatro negro, entendemos que é um elemento em construção, e por isso nossa proposta é tão transparente. Uma vez que estamos fazendo um teatro narrativo, no qual há momentos que são os personagens que falam em cena, em outros os próprios atores.Em na cena, esses lugares não estão separados, enquanto sujeitos negros não estamos construindo somente uma peça, estamos construindo uma corrente de pensamento. Estamos construindo nossos caminhos a partir das nossas experiências”, defendeu a diretora.

No Museu de Imagem e Som de Cuiabá (MISC), a preparação do quarteto contou com a visita de personalidades da cena artística cuiabana e nomes importantes para a política regional, como a vereadora Edna Sampaio, os professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Waldir Bertúlio e Jozanes Assunção. Também participaram a fundadora do coletivo Herdeiras do Quariterê, Silviane Ramos e a professora de História Cristiane Soares.

“A arte é o que nos impede de enlouquecer, e é justamente por não ter acesso a essa arte que o povo preto adoece. E criar uma perspectiva de arte negra no nosso município é muito importante”, afirmou a parlamentar. “Quando a arte é construída pelo coletivo dá uma força maior, chama a ancestralidade para esse abraço imenso e faz poesia. Esse espetáculo me tocou com muita emoção, é forte mesmo, fiquei muito emocionado”, compartilhou Bertúlio.

Em outra ida aos ensaios, as professoras Jozanes Assunção e Cristiane Soares definiram as cenas como emocionantes. “Achei bastante interessante esse palco dinâmico que está entre diversos momentos e situações, mas mantendo a unidade do tema. Essa forma de se apresentar, em mistura de dança, representação, poesia e música é uma arte completa. Eu achei fantástico”, revelou Jozanes Assunção.

O projeto “Contos de Itan e Fábulas de Escrevivências” está sendo desenvolvido com o apoio do no Edital MT Nascentes/ Lei Aldir Blanc da Secretaria de Estado da Cultura, Esporte e Lazer (Secel). O espetáculo está previsto para estrear no final de março.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet