Olhar Jurídico

Terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Notícias / Tributário

Contribuintes inadimplentes com o município podem parcelar dívidas em até 48 meses

Da Redação - Katiana Pereira

10 Jul 2013 - 07:56

Foto: Tchélo Figueiredo/Secom

Contribuintes podem negociar suas dívidas com a prefeitura a partir do dia 15

Contribuintes podem negociar suas dívidas com a prefeitura a partir do dia 15

Inicia na próxima segunda-feira (15) e segue até o dia 16 de setembro o Mutirão da Conciliação da Prefeitura de Cuiabá. Atualmente existem cerca de 35 mil ações para serem ajuizadas e a expectativa é de que o mutirão resulte em pelo menos 50% de acordos, com total estimado de R$ 12 milhões.

O Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do Poder Judiciário e a prefeitura de Cuiabá realizarão mutirão de conciliação com os contribuintes que possuem dívidas de impostos municipais. A parceria com Tribunal de Justiça de Mato foi firmada na terça-feira (9).

Deucimar é condenado em R$ 75 mil por envolver nome de empresa em fraudes da Câmara

A presidente do Núcleo de Conciliação, desembargadora Clarice Claudino da Silva, destacou que esse mutirão é uma ação de grande relevância. “O número de ações judiciais que a prefeitura espera evitar é ambicioso, mas vai ao encontro do que a sociedade deseja, que é agilidade na solução dos conflitos”.

As equipes de irão percorrer, em datas específicas, seis bairros localizados em todas as regiões de Cuiabá. Também será feito atendimento concentrado na Procuradoria Fiscal do Município.

Todos os débitos serão conciliados, estejam ou não inscritos em dívida ativa. Para pagamentos à vista, dívidas pendentes até 2010 terão 60% de desconto na multa e 100% de desconto nos juros. Já processos de 2011 a 2013 terão desconto apenas nos honorários advocatícios. Todas as dívidas podem ser parceladas de 12 a 48 vezes.

“Nossa meta é conseguir negociar ao menos 50% desses processos e evitar o ajuizamento, que é demorado”, explicou o procurador-geral do Município, Rogério Gallo.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • pantaneiro
    10 Jul 2013 às 09:02

    Que tal o TJ também aproveitar o evento e reduzir suas custas judiciais? Na maioria das vezes as custas chegam a três vezes o valor corrigido do IPTU ! Resumo da opera: O cidadão quita o IPTU, mas, fica devendo as custas ao TJ, inviabilizando com isso a emissão de certidão de regularidade junto à justiça estadual ! Alô OAB-MT, Assembleia Legislativa, etc, etc.

Sitevip Internet