Olhar Jurídico

Quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Notícias / Política de Classe

Flávio Ferreira defende que OAB-MT volte a contribuir com sociedade civil organizada

Da Redação - Patrícia Neves

09 Nov 2015 - 09:34

Foto: Assessoria

Flávio Ferreira defende que OAB-MT volte a contribuir com sociedade civil organizada
O candidato a vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional de Mato Grosso (OAB-MT), FLávio Ferreira, defende que a instituição  volte a ter a posição de advogada da sociedade. Flávio está na chapa encabeçada por Leonardo Campos, batizada ‘Advogar Por Todos, Liderar Pela Ordem’.

Leia Mais:
Advogados destacam trabalho de Leonardo Campos no interior de Mato Grosso


“Fazemos parte de uma geração que nasceu durante o Regime Militar, viu familiares e amigos serem violentados e como acadêmicos de Direito participamos ativamente das lutas sociais e do retorno da democracia, sempre liderados pela OAB e, neste momento de dificuldades políticas e sociais em que o país vive, a ausência de uma posição firme da OAB compromete as lutas do nosso passado”, lembrou Flávio Ferreira.

Ele frisa que a Ordem dos Advogados do Brasil representa não só os advogados, mas também a sociedade, que sempre foi atuante nas questões mais polêmicas da política nacional.

O advogado acrescenta, que a publicação na semana passada do Novo Código de Ética e Disciplina da Ordem, “seja talvez uma tímida tentativa de se retomar esse papel da OAB, de se mostrar que a entidade tem sim voz ativa diante do quadro de desmoralização, escândalos, prisões e punições de corruptos dos Poderes constituídos”.
Candidatura

Flávio Ferreira ressaltou que decidiu concorrer ao pleito, depois de muitas reflexões de ordem pessoal e profissional e aceitou em nome de um grupo, liderado por Leonardo Campos, que acredita em uma sociedade mais justa.
“No seu ministério, o advogado presta serviço público e exerce função social (art. 2º, Estatuto da OAB), e em razão da nossa militância na área social há mais de 30 anos, criando o Conselho da Criança e do Adolescente em Cuiabá na década de 80, membro do Conselho Estadual Antidrogas, membro do Conselho Municipal de Assistência Social, entre outros, aceitamos o pleito e pretendemos incluir a OAB como um ator nas questões sociais, visando a atender a essa nova demanda social”, finalizou.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • josé ricardo
    10 Nov 2015 às 08:19

    Um locutor de rodeio e um diretor de teatro. Os advogados serão muito bem representados. Afinal de contas esses profissionais tem que pegar o touro a unha todos os dias e representar um teatro na frente dos juízes em todas as audiências.

  • Mauro Cesar Souza
    09 Nov 2015 às 19:44

    Lamentavelmente, com a morte da Dra Rosarinha a Comissão da Infancia e Juventude perdeu sua plenitude.

  • Gabriel
    09 Nov 2015 às 16:34

    Estou com o Dr. Leonardo que fez uma ótima gestão na Caixa de assistência da OAB MT, tranparente visando a qualidade de vida dos advogados....acredito que seja o melhor...

  • Filomena Braga
    09 Nov 2015 às 11:14

    Voltar com Faiad? Capataz não está na gestão? Não é dirigente da OAB/MT? Flávio, não esqueça que a eleição será dia 27.

  • Carlos
    09 Nov 2015 às 10:49

    Gostaria de saber do sr. "advogado de MT" qual chapa não possui nenhum advogado que tenha relação pessoal ou profissional com algum partido ou político? Sim, porque na chapa do Moreno tem lá advogado ligado ao Sec. Chefe da Casa Civil, Paulo Taques, advogado do governador Pedro Taques do PSDB. Isto sem falar no apoio do Ussiel Tavares que é dirigente do PSDB no estado. Na chapa do Capilé tem o Ricardo Almeida, que é advogado da ex-deputada Chica Nunes (DEM) e do ex-deputado Pedro Henry (PP), dentre outros. Na chapa da Cláudia Aquino tem o Ronimárcio, advogado do ex-senador Jayme Campos e de sua esposa, atual prefeita de VG, Lucimar Campos, ambos do DEM. Aí eu pergunto: estes advogados por advogarem para partidos ou políticos não podem fazer parte da OAB? Então vamos excluir também os criminalistas que advogam para criminosos? E os advogados que defendem empresas que lesam os consumidores, sonegam impostos ou dão calotes em funcionários? Daqui a pouco não terá um advogado sequer apto a concorrer, segundo seus parâmetros, lógico.

  • Advogado de MT
    09 Nov 2015 às 09:50

    Dr. Flávio, não o conheço muito bem porque ainda não havia visto-o no Fórum. Quando diz que a OAB deve advogar para as sociedades civis está se referindo ao PMDB do FAIAD?

Sitevip Internet