Olhar Jurídico

Quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Silval deixará prisão para audiência sobre crimes na Assembleia Legislativa

Da Redação - Lázaro Thor Borges

31 Mai 2016 - 16:15

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Silval Barbosa

Silval Barbosa

O ex-governador Silva da Cunha Barbosa sairá da prisão nesta quarta-feira (01) para audiência de uma ação penal por crime de desvio de dinheiro ocorrido na Assembleia Legislativa. Os fatos versam sobre quando Silval ainda era deputado estadual em Mato Grosso, no período de 1999 a 2002.

Leia mais: 
Defesa alega insanidade mental de filho de sócio de shopping acusado de torturar e manter esposa em cárcere

Outro que deverá comparecer à audiência é o ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Humberto Bosaipo. A audiência que deveria ocorrer às 13h30 desta terça-feira (01), sofreu uma readequação de pauta feita pela juíza Selma Rosane de Arruda da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

Humberto Bosaipo e Silval Barbosa são acusados de desvio de dinheiro público na Assembleia Legislativa do Estado pelos crimes de fraude icitação, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha ou bando, supressão de documento, peculato e ordenação de despesa não autorizada.

Silval está preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) à cerca de oito meses. Ele é acusado de liderar um esquema de cobrança de propinas investigado no âmbito da Operação Sodoma. Na audiência desta quarta, Silval acompanhará o depoimento do ex-procurador jurídico da Assembleia Legislativa, Anderson Flávio de Godoi, arrolado como testemunha de defesa de Silval.

No mesmo processo, são testemunhas de defesa do ex-governador o deputado estado Romoaldo Júnior (PMDB) e o ex-deputado e conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE), Sérgio Ricardo. No entanto, como eles têm prerrogativa de foro, podem escolher a data do depoimento.

O processo de Silval Barbosa e de Humberto Bosaipo foi desmembrado dos demais acusados do crime pelo relator do processo no STJ, ministro Massami Uyeda já que os dois possuíam prerrogativa de foro. O ex-deputado José Riva e mais 12 pessoas também respondem às acusações, mas em autos diferentes.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet