Olhar Jurídico

Quinta-feira, 05 de dezembro de 2019

Notícias / Política de Classe

Desembargador eleito, Rui Ramos será empossado como presidente do TJ nesta segunda

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

19 Dez 2016 - 13:49

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Desembargador Rui Ramos

Desembargador Rui Ramos

O presidente eleito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso para o biênio 2017/2018, Rui Ramos Ribeiro, toma possa às 16h desta segunda-feira (19), no Plenário 1 do Palácio da Justiça. Ele foi eleito pelo Tribunal Pleno por 16 votos à 13 no dia 20 de outubro.

Leia mais:
Sem perspectivas até o fim do ano, ex-vereador João Emanuel iniciará 2017 no CCC; veja entrevista

Antes de iniciar a cerimônia de posse, o desembargador fará breve coletiva de imprensa às 15h, no mesmo local. Embora a posse ocorra antes do fim de 2016, o efetivo exercício tanto de Rui Ramos, quanto dos eleitos, se dará no dia 1º de janeiro de 2017.

Na ocasião da votação que o elegeu, Rui Ramos falou com a imprensa e adiantou vislumbrar muito trabalho pela frente. "Nenhum de nós vai conseguir salvar o mundo em dois anos, com tantos problemas que temos. Tivemos um excelente desempenho em 2015, mas metas bastante rápidas, de curto prazo. Mas, temos um trabalho à médio e longo prazo para ser preparado também". E resumiu. "nossa expectativa é um trabalho diuturno, simples e eficaz”.

Currículo

Nascido na cidade de Bauru (SP), o desembargador Rui Ramos Ribeiro tem 58 anos. Graduou-se na Faculdade de Direito de Bauru – Instituto Toledo de Ensino, em 1982, e passou a fazer parte da magistratura de Mato Grosso como juiz de Direito em 4 de dezembro de 1986. Iniciou a carreira na Comarca de Rosário Oeste (128 km ao norte de Cuiabá) e passou pelas comarcas de Pontes e Lacerda, Diamantino e Cáceres, até ser promovido à Capital em 1993.

Atuou como juiz da Vara Especializada da Justiça Militar (1993 a 1996), 6ª Vara Criminal (1996 a 2003), diretor do Fórum Criminal (1998 e 1999), juiz convocado para compor Câmaras Criminais Isoladas, Reunidas e Tribunal Pleno (1994 a 2003), juiz auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça (1999 a 2001), e juiz substituto de Segundo Grau (2003 a 2004). Por merecimento, em 16 de dezembro de 2004 foi promovido a desembargador do TJMT, tendo atuado como diretor da Esmagis entre os anos de 2009 e 2011 e vice-diretor de 2007 a 2009. Foi nomeado pela Corregedoria Nacional de Justiça como coordenador regional da região Centro-Oeste e Estado de Minas Gerais entre os anos de 2014 e 2015 e atuou como desembargador auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça no período de dezembro de 2015 a julho de 2016, por nomeação da ministra Nancy Andrighi.

Comissões Permanentes

O Pleno, na ocasião de 20 de outubro, também escolheu os desembargadores que irão compor as Comissões Permanentes da Corte para o biênio 2017/2018.

Para a Comissão Permanente de Planejamento de Atividades Programáticas do Poder e de Racionalização dos Serviços Judiciários foram escolhidos os desembargadores Carlos Alberto Alves da Rocha, João Ferreira Filho e Clarice Claudino da Silva.

Os desembargadores Luiz Ferreira da Silva, Guiomar Teodoro Borges e José Zuquim Nogueira serão os integrantes da Comissão Permanente de Orçamento e Assuntos Financeiros do Tribunal Pleno.

Integrarão a Comissão Permanente de Organização Judiciária e Regimento Interno os desembargadores Paulo da Cunha, Marcos Machado e Serly Marcondes Alves.

Os integrantes da Comissão Permanente de Concurso serão os desembargadores Orlando de Almeida Perri, Alberto Ferreira de Souza e Maria Erotides Kneip.

Durante a mesma sessão, o Pleno do TJMT escolheu o desembargador Dirceu dos Santos para presidir o Conselho de Supervisão dos Juizados Especiais de Mato Grosso para o biênio 2017/2018.

Atualmente, o conselho é comandado pelo desembargador José Zuquim Nogueira.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet