Olhar Jurídico

Domingo, 08 de dezembro de 2019

Notícias / Política de Classe

Vinte e um procuradores e promotores de MT receberam acima de R$ 100 mil; Veja Lista

Da Redação - Lázaro Thor Borges/ Patrícia Neves

14 Jan 2017 - 12:19

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Vinte e um procuradores e promotores de MT receberam acima de R$ 100 mil; Veja Lista
Dados divulgados no Portal da Transparência do Ministério Público Estadual (MPE/MT) indicam que 21 membros da instituição ganharam no mês de dezembro de 2016 valores que superam a quantia de R$ 100 mil (remuneração bruta) considerando a somatória de 13º salário, além de graticações. No total, a reportagem avaliou os dados disponibilizados de 247 profissionais entre promotores e procuradores. 

A análise das informações mostra que apenas um profissional do MPE recebeu valor inferior ao vencimento limite no país, que é de R$ 33.763,00, valor pago aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).  A lista pública dos salários mostra que o maior provento pago naquele mês chegou a quantia de R$ 121.844,44 (valor bruto) destinado ao procurador de Justiça, José Medeiros.

Leia mais:
Treze magistrados de MT receberam mais de R$ 100 mil em dezembro; desembargadora ganha sozinha R$ 338 mil

Pela listagem, a promotora de Justiça substituta, Natália Guimarães Ferreira, de São Félix do Araguaia, foi a única a receber abaixo do teto, recebendo a quantia de R$ 31.023,63 bruto.

A remuneração inicial de um promotor público no MPE mato-grossense é de R$ 24.818,71. Na última etapa da carreira (procurador de justiça), o salário do profissional chega a R$ 30.471,11. 

Assessoria 

Procurada a assessoria do Ministério Público Estadual (MPE) informou a reportagem do Olhar Jurídico que os acréscimos dispostos nas tabelas são referentes aos pagamentos de URV (Unidade Real de Valor) atrasadas, além de gratificações (quando os profissionais atuam em substituição a colegas em caso de férias). Explicou ainda que existem acréscimos aos que desempenham função em cargos de confiança e pagamentos diversos que englobam o auxílio vale-alimentação, auxílio-moradia, auxílio livros, remunerações retroativas e as duas férias anuais.

Veja tabela dos membros do MPE que receberam mais de R$ 100 mil (valor bruto)

1 - Ana Cristina Bardusco Silva (promotora) R$ 107,684.89

2 - Ana Luiza Ávila Peteline de Souza (promotora) R$ 115,790.20

3 - Audrey Thomáz Ility (promotor) R$ 115.790,20

4 - Carlos Henrique Richter (promotor) R$ 101.316,43

5 - Daniele Crema da Rocha de Souza (promotor) R$ 110.068,00

6 - Edmilson da Costa Pereira (procurador de Justiça) R$ 101.164,09

7 - Eliana Cícero de Sá Maranão Ayres (procuradora de Justiça) R$ 101.164.09

8 - Fernanda Pawelec Vieira (promotor) R$ 115.790,20

9 - Gilberto Gomes (promotor) R$ 107,684.89

10 - Hélio Fredolino Faust (corregedor geral) R$ 110.305,41

11 - José Medeiros (procurador) R$ 121.884.44

12 - Kátia Maria Aguilera Rispoli (procuradora) R$113,352.53

13 - Luiz Alberto Esteves Scaloppe (procurador) R$ 101,164,10

14 - Maísa Fidelis Gonçalves Pyramides (promotora) R$ 101.316,43

15 - Mara Lígia Pires de Almeida Barreto (procuradora) R$ 113.352,53

16 - Marcelly Rodrigues da Costa e Faria (promotora) R$ 101.316,43

17 - Naume Denise Nunes Rocha Muller (procuradora) R$ 113.352,53

18 - Paulo Roberto Jorge Duprado (procurador) R$103.601,77

19 - Rosana Marra (promotora) R$ 101.316.43

20 - Sasenazy Soares da Rocha Daufenbach (promotora) R$ 115.790,20

21 - Vivien Thomáz Ility (promotora) R$ 115.790,20


Veja aqui os salários de todos os membros do MPE no mês de dezembro. 

(Para abrir o arquivo é preciso fazer download do software livre Apache Open Office através deste link)

 

40 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • JUSSARA OLIVEIRA
    18 Jan 2017 às 19:46

    É uma afronta a Constituição Federal que proíbe salários acima do teto, que tem com referência o subsidio do Ministro do STF. Cadê o Governador que aprova esse absurdo.

  • Rodolfo
    16 Jan 2017 às 10:06

    Tráfico se influência, altos salarios, rendimentos extras... Na matéria diz que tem um adicional de pagamento da URV, pois bem nós do executivo não temos nem previsão de quanão receberemos ( e é uma mixaria). Quem sabe o BRASILEIRO acorda e vire o jogo com uma revolução.

  • GERCINA LONDSTAIN
    16 Jan 2017 às 09:45

    OS FISCAIS DO CUMPRIMENTO DA LEI BURLAM A LEI QUE ESTABELECE O TETO SALARIAL (salario dos ministros do STF) E SE LOCUPLETAM COM DINHEIRO PÚBLICO. NÃO TEM MORAL NENHUMA PARA ACUSAR OS POLITICOS...

  • cecilia
    16 Jan 2017 às 08:44

    e ainda colocam uma faixa na frente do prédio "corrupção não", mas, ganhar salários astronômicos, fora da realidade do estado e do país é normal, é ético, é correto? vergonha na cara é o que falta pra muita gente.

  • LUIS AUGUSTO
    16 Jan 2017 às 08:42

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Rodrigo
    15 Jan 2017 às 20:58

    PF neles, só assim para isso parar!

  • alex
    15 Jan 2017 às 15:51

    ESSE É O BRASIL. V E R G O N H A.

  • totó
    15 Jan 2017 às 14:47

    Mas que justiça danada a de cara senhor governador! Desse modo o restante dos servidores como ficarão? Se o estado tivesse uma máquina de fazer dinheiro,não existiria problema mas como não tem cada dia que passa o rombo fica maior.

  • Liqui
    15 Jan 2017 às 13:28

    Por que pararam de publicar os comentários? Rabo preso também?

  • Roger Max
    15 Jan 2017 às 11:38

    Esses são os fiscais da lei. E tem quem acredita nisso.

Sitevip Internet