Olhar Jurídico

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Notícias / Política de Classe

OAB-MT lamenta prisão de presidente de subseção e promete julgamento no Tribunal de Ética

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

21 Jan 2017 - 16:09

Foto: Reprodução

OAB-MT

OAB-MT

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional de Mato Grosso (OAB-MT) emitiu nota na tarde deste sábado (21) para informar que está acompanhando o caso da prisão do presidente da Subsecção Diamantino, Pérsio Oliveira Landim. Ele foi preso pela Polícia Civil na tarde desta sexta-feira (20), em Santo Antônio de Leverger (35 km de Cuiabá) acusado de prática de extorsão contra o proprietário do Cartório de 2º Ofício da cidade.

Leia mais:
Presidente de subseção da OAB em MT é preso sob suspeita de extorsão

“Logo que a Ordem foi notificada, se dirigiram para a cidade de Santo Antônio do Leverger o presidente da OAB-MT, Leonardo Campos e o presidente do Tribunal de Defesa das Prerrogativas (TDP), André Stumpf. Estamos prezando para que todas as prerrogativas profissionais sejam respeitadas na forma da lei 8.906/94. Informarmos também, de antemão, que instauraremos um processo através do Tribunal de Ética e Disciplina (TED) para apurar as condutas éticas do advogado no respectivo caso”, informou a OAB-MT em nota.

A Ordem, por fim, disse lamentar o ocorrido e reforçou “que o vigor que a faz agir na defesa intransigente das prerrogativas é o mesmo para apurar de forma imparcial as condutas dos seus inscritos”, concluiu a nota.

Em entrevista ao Olhar Direto, nesta sexta-feira, o tabelião Félix Jerônimo Alvarez, vítima do advogado, afirmou que toda ação foi gravada e entregue à Polícia Civil. A detenção do advogado foi registrada em uma das salas do cartório e envolve a falsificação de uma assinatura para invalidar um contrato de hipóteca de uma propriedade rural avaliada em 22 milhões de dólares, na cidade de Sinop (a 500 km de Cuiabá).

A vítima afirma que desde o último domingo (15) passou a ser chantageado pelo proprietário de um jornal que o acusava de ações ilícitas e falsificações de documentos. Logo após, ele recebeu um convite para conversar com o dono do jornal sobre as matérias. Na sequência, uma reunião foi agendada, na terça-feira (17), mas em Cuiabá, na sede do jornal instalada na avenida General Mello para que a questão fosse "debatida".

Nessa data, Félix declarou ter visto o advogado em frente ao estabelecimento, mas nenhum reunião se consumou. Novamente uma reunião foi agendada para a sexta-feira (20). "Me ligaram pressionando. Falando que sites estavam replicando o material e que a corregedoria [do Tribunal de Justiça] estava investigando a conduta, para pressionar mesmo. O Pérsio me ligou dizendo que tinha como resolver a situação. Marquei para às 9h, mas ele só veio às 15h.

Antes da reunião, o tabelião procurou a Polícia Civil e relatou o caso. Durante a reunião com o advogado na tarde de hoje, Pérsio teria solicitado que o tabelião assumisse a responsabilidade pelo erro perante a escritura. "Mais de uma hora de conversa ele [advogado] me disse que eu deveria assumir que me engaram e que tudo ficaria tranquilo. Eu perguntei qual era a minha garantia e ele me disse que nada mais iria acontecer. Nessa hora a polícia entrou".

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • ariel
    23 Jan 2017 às 13:52

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet