Olhar Jurídico

Sábado, 14 de dezembro de 2019

Notícias / Política de Classe

Advogado que confessou desvio de R$ 9,4 milhões na Assembleia é expulso da OAB-MT

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

23 Fev 2018 - 16:30

Foto: Rogério Florentino/OlharDireto

Joaquim Fábio Mielli Camargo.

Joaquim Fábio Mielli Camargo.

O advogado Joaquim Fábio Mielli Camargo, delator premiado da "Operação Ventríloquo", foi expulso da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT). A decisão foi proferida pelo Conselho Pleno do Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem. 

Leia mais:
Justiça anula assembléia que afastou presidente da Fecomércio

Segundo apuração de Olhar Jurídico, o caso foi relatado pelo advogado Pedro Verão e contra o delator pesou a falta de "idoneidade para atuar na advocacia". O  Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem não confirma oficialmente a informação.

O delator admitiu fazer parte de um esquema com objetivo de saquear os cofres públicos, notadamente os recursos públicos da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso apropriando-se ilicitamente de seus recursos em proveito próprio, entre os anos de 2013 e 2014, em Cuiabá. Para isso, o advogado contou com o apoio dos parlamentares Romoaldo Junior e Mauro Savi, e em parceria com o ex-deputado, José Geraldo Riva. Também foram denunciados no caso: Francisvaldo Mendes Pacheco, Julio Cesar Domingues Rodrigues, Anderson Flavio de Godoi , Luiz Marcio Bastos Pommot e Joaquim Fábio Mielli Camargo. 

Consta na ação que a organização criminosa, inclusive com clara divisão de papéis, no período compreendido entre fevereiro e abril de 2014, subtraiu dos cofres da Assembléia Legislativa cerca de R$ 9.480.547,69 (nove milhões, quatrocentos e oitenta mil e quinhentos e quarenta e sete reais e sessenta e nove centavos), em proveito próprio e alheio (peculato-furto), valendo-se da facilidade que proporcionava a condição de servidores públicos e agentes políticos de alguns de seus membros.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • João da Silva
    23 Fev 2018 às 21:24

    Eu , foi expulso cadê o ?? devolveu ??

  • Eri
    23 Fev 2018 às 18:04

    Se for levado a serio isso, aqui em Barra do garças não sobra um advogado...a maioria e ficha suja!

Sitevip Internet