Olhar Jurídico

Sexta-feira, 06 de dezembro de 2019

Notícias / Política de Classe

Presidente do TJ aumenta para R$ 23 mil por ano auxílios a magistrados e servidores

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

13 Abr 2018 - 14:30

Foto: Rogério Florentino/OlharDireto

Presidente do TJ aumenta para R$ 23 mil por ano auxílios a magistrados e servidores
O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) desembargador Rui Ramos Ribeiro, determinou por meio de despacho emitido nesta quinta-feira (12) o aumento de R$ 1.950,00 nos auxílios alimentação e saúde. A medida passará a valer a partir do dia 1º de maio de 2018. Antes, será submetido à avaliação financeira e orçamentária da Coordenadoria de Planejamento. 

Leia mais:
Com R$ 24 milhões em dívidas, frigorífico de MT entra em recuperação judicial

Hoje, membros do Poder Judiciário, incluindo juízes e desembargadoes, recebem R$ 1.600,00 em auxílios saúde e alimentação. Ou seja, o aumento beira os 22%. Com o aumento, servidores e magistrados passarão a receber R$ 23,4 mil em auxílios, o que pode pesar consideravelmente no custo da máquina judiciária do Estado. 

Conforme o despacho, a medida considera "que os direitos à saúde e alimentação são direitos sociais merecedores de maior atenção do Poder Judiciário-MT" e que o Plano de Gestão do Biênio 2017/2018 “tem como um dos pilares, as implementações de ações de valorização dos servidores do Poder Judiciário".

Antes de ser posto em prática o aumento, a Coordenadoria de Planejamento se manifestará "acerca da disponibilidade financeira e orçamentária”.

Segundo dados recentes da Secretaria de Estado de Fazenda, somente no terceiro quadrimestre de 2017, o Poder Judiciário consumiu R$ 719 milhões de seu duodécimo e possui R$ 499 milhões em caixa. Este é o desenrolar de uma novela que era trágica até fevereiro deste ano, quando a presidência do TJ estudava até mesmo a desativação de varas e o fechamento de comarcas pelos constantes atrasos no repasse do duodécimo.

O presidente do Sindicato Servidores do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso (Sinjusmat), Rosenwal Rodrigues, chegou a protocolizar na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) um pedido de abertura de processo de impeachment contra o governador Pedro Taques (PSDB). O Sinjusmat ainda ingressou com uma Ação Civil Pública para exigir o bloqueio de R$ 250 milhões das contas do Estado. 

Olhar Jurídico acionou a assessoria do Tribunal de Justiça, que emitiu a seguinte nota:

"A Administração determinou um estudo de impacto orçamentário e financeiro em relação ao auxílio-alimentação e auxílio-saúde destinados aos servidores da instituição. Como se trata de um estudo, ainda não há nenhuma definição sobre esse assunto".

22 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Nana Griffen
    16 Abr 2018 às 11:14

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Imposto pago retorno zero
    16 Abr 2018 às 08:47

    A OAB DEVERIA TER UMA CENTRAL PARA APURAR ESSES ADVOGADOS QUE RECEBEM E SOMEM DESAPARECEM PERDE OS PRAZOS A QUEM PEDIR SOCORRO??

  • Junior
    14 Abr 2018 às 18:25

    É que eles ganham muito pouco, só com o salário não conseguem comer, ir para a Europa, EUA, Caribe. Que isso gente? É uma bobeirinha isso aí, o terceiro estado paga a conta.

  • Antonio Jose Santana Neto
    14 Abr 2018 às 08:17

    E depois falam em crise??? Coitado do pobre que nao tem auxilio nenhum,,,nem do poder publico. VERGONHA

  • Antonio Jose Santana Neto
    14 Abr 2018 às 08:17

    E depois falam em crise??? Coitado do pobre que nao tem auxilio nenhum,,,nem do poder publico. VERGONHA

  • AFFF
    14 Abr 2018 às 08:07

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Frei João com Arroz
    14 Abr 2018 às 06:53

    simplificando: Mais um exemplo de lesa-pátria!

  • Servidor
    13 Abr 2018 às 23:47

    2017 teve concurso para o TJMT, poucos se atreveram. Sabem porquê ? Péssimos salários, volume enorme de serviços e carga horária desumana , quem quer sair das belas carreiras do executivo que Silval inchou com planos de carreira dos sonhos e ir para o TJMT (e Pedro Taques manteve essas lis inconstitucionais ) e ir para o judiciário? Ninguém! Porque , nem de longe se equipara aos salários ótimos do executivo

  • Silvio Lopes de moraes
    13 Abr 2018 às 23:20

    Enquanto isso o povo gemendo em dificuldades para atendimento na saúde, segurança, educação e moradia. .O Judiciário é um estado a parte, hj livre pra pisar nas leis e no bom senso e na população em geral. Para eles não tem crise , não tem objeção , mandam em tudo e todos, são os verdadeiros filhos ricos dessa pátria puta.

  • Arnaldo Leite Albquerque
    13 Abr 2018 às 22:24

    Como é triste ouvir certos comentários, todos os servidores publico tem sua vida financeira no portal da transparência, e o Poder Judiciário foi o primeiro a cumprir com este dever, não entendo essa guerra com os servidores públicos, porque em vez de declararem guerra aos servidores públicos, não se organizem e lutem por seus direitos como fazem os servidores públicos, será porque tem dó de pagar R$20,00 para o sindicato, vocês acham que direito é de graça, é só chegar para o juiz e dizer tenho direito me da, lembrem não ha nação no mundo sem servidores públicos.

Sitevip Internet