Olhar Jurídico

Quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Notícias / Política de Classe

Poder Judiciário recebe fiscalização do CNJ; advogados e MP serão ouvidos

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

17 Abr 2018 - 08:35

Foto: Rogério Florentino/OlharDireto

Poder Judiciário recebe fiscalização do CNJ; advogados e MP serão ouvidos
O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) receberá no período de 23 a 27 de abril a Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para visita de inspeção ao órgão, cujo objetivo é verificar o funcionamento dos setores administrativos e judiciais do Judiciário Estadual, bem como das serventias extrajudiciais (cartórios).

Leia mais:
Rui Ramos libera campanhas publicitárias da Caravana da Transformação e Saúde


A comitiva contará com aproximadamente 20 membros, tendo a presença da conselheira do Conselho Nacional de Justiça, desembargadora federal Daldice Maria Santana de Almeida, desembargadores, juízes e servidores de diversas localidades do país, que estarão presentes das 10h às 19h na sede do Tribunal.

A vistoria faz parte da política de fiscalização e aprimoramento das unidades do Poder Judiciário no país, que se iniciou no ano passado. 

A equipe do CNJ ficará instalada na ala dos gabinetes dos desembargadores no TJMT e receberá as entidades ligadas ao meio jurídico, como Ministério Público Estadual (MPE), Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Defensoria Pública de Mato Grosso e a sociedade civil em geral, para informações sobre a qualidade dos serviços prestados pelo Judiciário Estadual.

Todos os fóruns e serventias extrajudicias do Estado fixarão cartazes informativos sobre a vistoria, bem como as unidades do Ministério Público,  Defensoria Pública e da Justiça do Trabalho.

Os trabalhos forenses e prazos processuais do TJ não serão suspensos e correrão normalmente durante a semana de visita da instituição nacional. 

Em 2017 o Poder Judiciário de Mato Grosso conquistou o Selo Ouro conferido no Programa Justiça em Números, do CNJ. A honraria é um reconhecimento aos tribunais que cumprem critérios de investimento na gestão da informação e no cumprimento de normas de transparência.

Dentre todos os incisos, a maior pontuação conquistada pelo PJMT foi referente ao 'Índice de Produtividade Comparada da Justiça (IPC-Jus)', conforme cálculo do CNJ. Neste quesito, o PJMT alcançou a nota máxima, 90 pontos.

O índice mede a eficiência entre os tribunais e, naquele ano, o Judiciário Estadual de Mato Grosso, considerando 1º e 2º graus e área administrativa, conquistou a média de 95%. A pontuação colocou o tribunal mato-grossense como o melhor avaliado pelo CNJ, dentre os 10 tribunais estaduais de médio porte e o 5º lugar no comparativo nacional.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Imposto pago retorno zero
    18 Abr 2018 às 10:20

    E quando o Advogado come moscas e perde os prazos, a parte fica prejudicada a quem pedir socorro ?? ao juiz?? que não quer nem saber ?? a OAB não supervisiona os processos ?? não tem ouvidoria, tem sido apenas um órgão arrecadador, andam com ternos caros , mas não supervisionam seus afiliados quanta sujeira, e injustiça temos visto

  • Zeus
    17 Abr 2018 às 10:47

    Chamem a juíza de Tangará da Serra pra dar palestra sobre Instagram!!

Sitevip Internet