Olhar Jurídico

Quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Notícias / Eleitoral

Inquérito contra Janaina Riva por compra de votos será julgado na próxima terça-feira

Da Redação - Arthur Santos da Silva

26 Jul 2019 - 09:44

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Inquérito contra Janaina Riva por compra de votos será julgado na próxima terça-feira
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) recolocou em pauta para julgamento do Pleno de terça-feira (30) um habeas corpus para decidir sobre possibilidade de arquivamento de inquérito policial por suposta compra de votos contra a deputada estadual Janaina Riva (MDB) e sua mãe, Janete Riva.
 
Leia também 
Membro do TRE pede vista para decidir futuro de inquérito por compra de votos contra Janaina


Conclusão de julgamento foi adiada no dia 23 de julho após pedido de vista do desembargador Gilberto Giraldelli, presidente do TRE. Caso mantido o inquérito policial, há a possibilidade de abertura de ação penal. A votação até o momento conta com três votos favoráveis ao habeas corpus (pelo arquivamento) e três votos contra (pela manutenção da investigação).
 
Conforme os autos, baseados em denúncia anônima, na véspera das eleições de 2014, Janaina e Janete foram até uma empresa localizada no município de Brasnorte (602 km de Cuiabá), oferecendo R$ 50 a cada funcionário para que votassem nelas. Janaina era candidata a deputada estadual e Janete disputava o Governo do Estado.
 
O Ministério Público Eleitoral já se manifestou pelo arquivamento, por não existir elementos mínimos para propositura de uma ação penal.  A Polícia Federal também visualizou o esgotamento de diligências,  ausência de prova documental, audiovisual e ausência de qualquer outra prova.

Relatam os advogados de defesa que, não obstante tenha a Promotoria Eleitoral promovido o arquivamento do inquérito, houve rejeição e determinação de remessa à Segunda Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal em Brasília. 

Diante desse contexto, ressaltam os advogados que não haveria justa causa para propositura de ação penal. 
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet