Olhar Jurídico

Quarta-feira, 08 de abril de 2020

Notícias / Geral

TCE determina apuração em contratos do MTI com irregularidades que deram prejuízo de R$ 7,9 mi

Da Redação - Vinicius Mendes

03 Set 2019 - 09:14

Foto: Marcos Vergueiro/Secom-MT

TCE determina apuração em contratos do MTI com irregularidades que deram prejuízo de R$ 7,9 mi
O conselheiro interino Luiz Henrique Lima, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), determinou Tomada de Contas, um processo administrativo para apurar responsabilidade por ocorrência de dano, em dois contratos da Empresa Mato-Grossense de Tecnologia da Informação (MTI) de 2014, nos quais foram encontradas nove irregularidades que deram prejuízo de R$ 7,9 milhões ao erário.
 
Leia mais:
Justiça determina afastamento de vereadores denunciados por associação criminosa
 
A Secretaria de Controle Externo entrou com Representação de Natureza Interna (RNI) contra o Centro de Processamento de Dados do Estado de Mato Grosso (Cepromat), atual MTI, em decorrência de uma auditoria que foi realizada, na qual foram verificadas irregularidades nos contratos nº 13 e nº 40 de 2014.
 
Os contratos foram firmados entre a Cepromat e a empresa Avançar Tecnologia em Software Ltda-ME. O Relatório Preliminar elaborado apontou a ocorrência de nove irregularidades. Um Relatório Técnico Complementar também foi realizado e concluiu pela procedência da RNI e pela imposição de ressarcimento ao erário no valor de R$ 7.967.622,00.
 
O conselheiro Luiz Henrique Lima, considerando a ausência da prestação de serviços, então decidiu converter a RNI em Tomada de Contas Ordinária em desfavor do Cepromat, sob a responsabilidade de Wilson Celso Teixeira, que era diretor presidente do Cepromat no exercício de 2014.
 
“Considerando a conclusão da unidade técnica e a ocorrência de possível dano a o erário decorrente da ausência de prestação dos serviços contratados pelos Contratos nº 13 e nº 40/2014, firmados entre o Centro de Processamento de Dados do Estado de Mato Grosso e a empresa Avançar Tecnologia em Software Ltda, entendo que esta Representação de Natureza Interna deve ser convertida em Tomada de Contas Ordinária”, disse.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Sincero
    03 Set 2019 às 12:41

    Se procurar direito irá descobrir que teve concursos sim, o problema se deu em momentos passados devido cargos comissionados que são de responsabilidade do governo e não de funcionários de carreira. Hoje os cargos estão ocupados por funcionários concursados e coisas do tipo não devem mais ocorrer. Isso é o retrato de quanto votar em governos pode mudar o Estado. Entenda governo não é Estado.

  • eleitor
    03 Set 2019 às 09:58

    que se apure,esse é um orgão que muitos foram beneficiados com funcionarios que nunca se quer soube de concurso e salários milhonários e um cabide de empregos ,o povo aqui fora matando um leão por dia o povo gritando por um trabalho isso tudo é revoltante para a população.

Sitevip Internet