Olhar Jurídico

Terça-feira, 22 de outubro de 2019

Notícias / Criminal

Juíza compartilha provas sobre desapropriação que gerou desvio de R$ 7 milhões

Da Redação - Arthur Santos da Silva

16 Set 2019 - 09:05

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juíza compartilha provas sobre desapropriação que gerou desvio de R$ 7 milhões
A juíza Ana Cristina Silva Mendes, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, autorizou compartilhamento de provas produzidas durante instrução de ação penal em consequência da Operação Seven, primeira fase, por fraudes na desapropriação de um terreno em Cuiabá. A autorização, determinada no dia 13 de setembro, atende pedido do juiz da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular, Bruno D´Oliveira Marques. O objetivo é subsidiar ação em andamento naquela Vara.

Leia também 
Receita Federal recebe informações sobre lavagem de dinheiro liderada por Silval

 
A Seven inicialmente teve como foco o ex-governador Silval Barbosa e apurou suposto esquema que teria causado prejuízo de R$ 7 milhões aos cofres públicos, por meio da compra, pelo Estado, de uma área rural de 727 hectares na região do Manso.
 
Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), a área já pertencia ao Estado e foi adquirida novamente do médico Filinto Corrêa da Costa, com preço superfaturado de R$ 4 milhões.
 
São réus da ação penal Silval da Cunha Barbosa, Pedro Jamil Nadaf, José de Jesus Nunes Cordeiro, Filinto Correa da Costa, Francisval Akerley da Costa, Arnaldo Alves de Souza Neto, Afonso Dalberto, Claúdio Takayuki Shida, Wilson Gambogi Pinheiro Taques, Francisco Gomes de Andrade Lima Filho.
 
Na decisão sobre o compartilhamento, Ana Cristina ainda consignou que existe outro processo sobre a segunda fase da Operação Seven. Caso haja interesse sobre as informações, será preciso novo requerimento.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Fogo Amigo
    16 Set 2019 às 21:44

    kakakakaka

  • Pedro
    16 Set 2019 às 09:52

    Sera que essa Juíza já aprendeu a trabalhar!! Quando ela era do juizado do consumidor era uma lastima!!! mal conhecia o código do consumidor

Sitevip Internet