Olhar Jurídico

Sábado, 19 de setembro de 2020

Notícias / Civil

Mauro é ouvido na Justiça Federal em processo sobre simulação para compra de apartamento de luxo

Da Redação - Vinicius Mendes / Da Reportagem Local - Wesley Santiago

05 Dez 2019 - 08:14

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Chegada do governador para audiência

Chegada do governador para audiência

O governador Mauro Mendes (DEM) é ouvido na manhã desta quinta-feira (5) na sede da Justiça Federal em Cuiabá, sobre um processo em que é julgado pela simulação de empréstimo para a aquisição de um apartamento de luxo em Cuiabá, penhorado em leilão judicial.
 
Além de Mauro, também é parte no processo a juíza federal da justiça trabalhista aposentada compulsoriamente por decisão unânime em processo administrativo disciplinar, Carla Reita Faria Leal, a quem teria sido repassado o apartamento previamente adquirido por Mauro.
 
Leia mais:

“Julgamento em prazo razoável é obrigação de todos nós”, diz presidente do TRE-MT sobre cassação de Selma
 
O governador chegou à sede da Justiça Federal por volta das 8h. Ele seguiu pela entrada privativa, utilizada pelos juízes federais, e não falou com a imprensa. 



Segundo o MPF, a ação é resultado de inquérito instaurado para apurar a aquisição, em 2011, de um apartamento de luxo por parte da então juíza do Trabalho da 8ª Vara do Trabalho de Cuiabá, Carla Reita Faria Leal.
 
O imóvel havia sido inicialmente adquirido por Mauro Mendes em 2 de dezembro de 2009, em leilão público promovido pelo Tribunal Regional do Trabalho ao qual a juíza era vinculada. Passado mais de um ano, o apartamento foi repassado para Carla Reita.
 
Segundo o MPF, como juíza do Trabalho, Carla Reita não poderia comprar imóvel que tivesse sido objeto de leilão público promovido por órgão do tribunal a que pertence ou está vinculada.
 
Para fugir da vedação legal imposta aos magistrados, a juíza trabalhista e Mauro Mendes realizaram uma simulação de dação em pagamento - que seria uma das exceções legais à aquisição do imóvel pela magistrada - como forma de pagamento de um suposto empréstimo que ambas as partes alegam ter existido no ano de 2009.

Falsidade ideológica 

Sobre o mesmo caso, o juiz Paulo Cézar Sodré, da Sétima Vara da Justiça Federal, recebeu processo por falsidade ideológica contra o atual governador de Mato Grosso. 

Conforme revelou o Portal Isso É Notícia, Em seu depoimento à desembargadora Eliney Veloso, do TRT, Mauro declarou que havia arrematado o apartamento "por uma oportunidade de negócios" e porque havia cogitado a possibilidade de mudar para lá. Mauro afirmou que desistiu de se mudar para a cobertura de luxo depois que teria comprado os terrenos no Alphaville em 2010. Mas, a desembargadora do TRT descobriu que os lançamentos na declaração de imposto de renda do atual governador de Mato Grosso mostram que os imóveis no Alphaville foram comprados em 15 de julho de 2009, ou seja, antes da arrematação do apartamento, que ocorreu no dia 2 de dezembro de 2009.

Confira a reportagem do Portal Isso É Notícia.
 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Villas
    05 Dez 2019 às 13:27

    Como tem gente sem cérebro nesse mundo e falando besteiras...o que têm haver a possível fraude ou indício de ilícito cometido pelo governador com o PT?Sem nexo,sem noção,analfabetismo politico!!

  • Ana Lídia
    05 Dez 2019 às 10:27

    Uai!!! O governador não é petista! Como foi se envolver numa sinuca de bico?

  • Chacal
    05 Dez 2019 às 10:13

    A lei deveria valer para todos, se o apartamento foi adquirido pelo Mauro para encobrir o verdadeiro proprietário, no caso a juíza que organizou o leilão.

  • Luciana
    05 Dez 2019 às 08:44

    Esse é o famoso baton na cueca,a matéria não soube descrever a trama da negociação do apartamento...

Sitevip Internet