Olhar Jurídico

Domingo, 26 de janeiro de 2020

Notícias / Criminal

Por prescrição, juiz extingue punibilidade de Oscar Bezerra em processo sobre fraudes de mais de R$ 200 mil

Da Redação - Vinicius Mendes

11 Dez 2019 - 09:29

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Por prescrição, juiz extingue punibilidade de Oscar Bezerra em processo sobre fraudes de mais de R$ 200 mil
O juiz Paulo Cézar Alves Sodré, da 7ª Vara Federal de Cuiabá, declarou extinta a punibilidade do ex-deputado Oscar Bezerra (PV) sobre as acusações de fraude em procedimento licitatório e associação criminosa. Os fatos apurados teriam ocorrido durante a gestão do ex-prefeito de Juara (a 695 km de Cuiabá), Priminho Antônio Riva, entre os anos de 2001 a 2004, e durante a gestão de Oscar Bezerra, entre 2005 e 2008, como prefeito. O magistrado extinguiu a punibilidade por prescrição.
 
Leia mais:
PGR defende decisão que limitou pagamento de verba indenizatória de vereadores e exigiu prestação de contas
 
De acordo com o Ministério Público Federal, os denunciados uniram-se para fraudar diversos procedimentos licitatórios destinados ao aparelhamento do sistema de saúde pública do município de Juara, cujas verbas foram liberadas por intermédio de convênios firmados com a União. Os prejuízos teriam sido de mais de R$ 209.994,93.
 
Além de Oscar Bezerra, foram denunciados Priminho Antônio Riva, Luiz Carlos Bachega, Cleber Lima do Prado, José Aparecido Fracarolli, Sebastião Aparecido de Sousa, Alexandra Rosa da Silva, Rosemar de Alencar, Lincoln de Carvalho, Cleirto Sinhorin, Wilson Jacob e Antônio Batista Mota. O processo com relação a Oscar foi desmembrado.
 
Em despacho publicado no Diário de Justiça desta quarta-feira (11), o juiz federal Paulo Cézar Alves Sodré declarou extinta a punibilidade de Oscar Bezerra em relação aos delitos de fraude em licitação e associação criminosa. O ex-deputado ainda foi absolvido das acusações de solicitar ou receber vantagem indevida, “por não existirem provas suficientes para a condenação”.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gladston
    12 Dez 2019 às 10:15

    Prescreve por incompetência ou má fé do judiciário!

  • O atalaia
    11 Dez 2019 às 17:14

    A extinção da punibilidade se deu por questões processuais e não exclui a culpabilidade,

  • CHIRRÃO
    11 Dez 2019 às 16:07

    O JUDICIÁRIO DEVERIA TRABALHAR MAIS...COMEÇAR OS TRABALHOS COMO QUALQUER TRABALHADOR ÁS 07:00 HS. Começando ao meio dia fica dificil...por isso que esses crimes prescrevem..VÃO TRABALHAR JUIZES...VALHAM O SALÁRIO QUE A POPULAÇÃO LHES PAGA.

  • Lúcio
    11 Dez 2019 às 12:02

    Simples assim.....depois, vem me falar de moral e bons costumes, cabra.....

Sitevip Internet