Olhar Jurídico

Quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Notícias / Civil

Familiares de cantor morto acionam motorista em busca de indenização no valor de R$ 800 mil

Da Redação - Arthur Santos da Silva

28 Jan 2020 - 09:39

Foto: Reprodução

Familiares de cantor morto acionam motorista em busca de indenização no valor de R$ 800 mil
Familiares de Ramon Alcides Viveiros, morto em acidente registrado próximo à boate Valley, acionaram a bióloga Rafaela Screnci da Costa Ribeiro, acusada pela tragédia, visando obter indenização no valor de R$ 800 mil.

Leia também 
Justiça reverte decisão do Estado e garante à Ambev incentivos do ICMS até 2032

 
São autores da ação Mauro Viveiros Filho e Victoria Viveiros, irmãos de Ramon, além de Mauro Viveiros e Regina Reverdito Viveiros, pais da vítima. Processo foi distribuído ao juiz Yale Sabo Mendes, da Sétima Vara Cível de Cuiabá.
 
O crime em frente à boate Valley ocorreu no dia 23 de dezembro de 2018, na Avenida Isaac Póvoas, em Cuiabá. Rafaela Screnci também é denunciada, em processo que pode levar a júri popular, por crime de homicídio na modalidade de dolo eventual (por duas vezes) e homicídio tentado.

Na ocasião do acidente, a denunciada atropelou Mylena de Lacerda Inocêncio, Ramon Alcides Viveiros e Hya Giroto Santos, causando a morte das duas primeiras vítimas e gravíssimas lesões corporais na terceira.
 
Ao dirigir em notório estado de embriaguez e em velocidade acima do permitido, conforme o MPE, a acusada Rafaela Screnci assumiu o risco de produzir o resultado morte.
 
Olhar Jurídico entrou em contato com Mauro Viveiro, pai da vítima. Ele afirmou que não comentará sobre o assunto.

15 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Paolo
    29 Jan 2020 às 10:27

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • La
    29 Jan 2020 às 09:14

    Deve pedir indenização da amiga dele, que fez ele voltar para atravessar a rua com ela.

  • Antonio
    29 Jan 2020 às 09:12

    Prezado Philipe, pelos seus comentários acredito ser próximo aos envolvidos. A nossa justiça permite pedir indenizações, mais pergunto irá trazer o jovem de volta? Esse dinheiro irá amenizar o sofrimento dos pais da vitima? Por outro lado tem também os pais da jovem que atropelou, também está com a família destroçada. Como irão pagar esse dinheiro? Será que somente ela tem culpa no acidente? Será que se ela estivesse a 45km/h, 50km/h ou 55km/h poderia evitar a tragédia provocada pela imprudência dos outros jovens? Então vamos ser mais coerentes nos comentários e analisar todos os fatos e lados dos envolvidos antes de julgarmos e condenarmos. Isso quem faz é justiça que muitas das vezes é injusta.

  • DRICA
    28 Jan 2020 às 17:18

    Quem é esse Phillipe na fila do pão???? Deve ser parente. Só pode!! Da nojo de ver familias pedindo indenização pela morte de um ente. Da a impressão que a vida tem valor financeiro. E não adianta falar que vai doar pra instituição. Uma vez que pede indenização você ta colocando preço na vida alheia.

  • carolina silva
    28 Jan 2020 às 17:04

    bem lembrado WELLINTON... como andam os casos da medica, da ex procuradora e da tenente do corpo de bombeiros?

  • marcia
    28 Jan 2020 às 17:03

    não entendi ... o rapaz sustentava a familia?

  • roberto da silva
    28 Jan 2020 às 16:00

    entao a vida do menino tem preço?depois de morto vai garantir aquela viagem pra disney pra família inteira?apesar de saber do risco em dirigir um carro "embriagada", os dançarinos também deveriam de saber o risco de se atravessar uma rua movimentada fora da faixa. pois é, todos erraram, e agora, a família quer enriquecer culpando somente um lado. TODOS OS ENVOLVIDOS ESTAVAM ERRADOS.seguindo comentário abaixo, e a médica? também vai pagar R$ 800.000,00 em indenização? trabalhar e juntar esse dinheiro ninguem quer né? bora rifar nossos entes queridos aí

  • Adevogado
    28 Jan 2020 às 15:20

    JUSTIÇA GRATUITA?

  • Philipe
    28 Jan 2020 às 13:56

    Prezado Jossué, informar fatos não é perseguição alguma. Da mesma forma que buscar indenização pelo dano causado também não é. Inclusive, caro Wellinton, se há algum imbróglio no caso do verdureiro, ocorre graças a defesa da ré (uma médica), que provavelmente é muito bem qualificada e paga pelos seu serviços. A propósito, Mauro Viveiros aposentou-se há algum tempo e não é mais Procurador de Justiça. Acho que você mesmo terá que ir ao MP reportar suas queixas. Dica: não esqueça de levar provas do que fala, pois o último que tentou teve ontem sua sentença condenatória publicada por Denunciação Caluniosa.

  • Rafael
    28 Jan 2020 às 12:48

    Muito bem colocado Wellinton, nossa justiça não preza pelo certo, Sempre é o Rico contra o Pobre

Sitevip Internet