Olhar Jurídico

Quinta-feira, 02 de abril de 2020

Notícias / Criminal

Juíza reagenda audiência para interrogar delator suspeito de fraude em posto de combustíveis

Da Redação - Arthur Santos da Silva

16 Fev 2020 - 08:41

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juíza reagenda audiência para interrogar delator suspeito de fraude em posto de combustíveis
A juíza Ana Cristina Silva Mendes, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, reagendou para o dia 30 de março uma audiência de instrução em processo contra o delator premiado Junior Mendonça. O réu será interrogado na ocasião.

Leia também 
Promotora denunciada acusa chefia do MPE de machismo; veja vídeo e ouça áudios


O reagendamento da audiência, prevista para ocorrer inicialmente em dois de março, se deu para “readequação de pauta”.
 
Segundo o Ministério Público, bombas vistoriadas durante as operações intituladas "Clone" e "De Olho na Bomba" estavam dispensando volume menor de combustível que o indicado na referência medidora.

Conforme laudo técnico, a irregularidade nas bombas causava um prejuízo ao consumidor na quantidade de 140 ml a cada 20 litros de combustível. 

Junior Mendonça é um dos principais delatores premiados na Operação Ararath, que investiga instituição financeira à margem do que é considerado legal.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jango
    16 Fev 2020 às 18:47

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Juninho GIL
    16 Fev 2020 às 18:46

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Carlos
    16 Fev 2020 às 12:44

    Impressionante !!!! O cara nos rouba na safadeza, fica milionário e está em liberdade. A justiça é cega mesmo, né. O delito foi comprovado e ainda o cara tem o direito de ser julgado . Roubar já é uma chancela corriqueira em nosso país

  • Rafael
    16 Fev 2020 às 09:42

    Esse cara é a prova de que o crime compensa no Brasil. Após virar delator continuou praticando crimes e ficou ainda mais rico, rindo na cara do cidadão que trabalha honestamente e com a conivência do Ministério Público e Justiça.

  • Villas
    16 Fev 2020 às 09:34

    Esse cidadão é o exemplo clássico que esse instituto da delação tem muita coisa errada para ser revista.Ele não pegou nenhum dia de cadeia e devolveu uma ninharia do dinheiro desviado e lavado de crimes contra à administração pública!Agora está com a suspeita de ter praticado novos crimes contra o consumidor trabalhador e honesto...fica aí a batata para o MPE e MPF!

  • nelson
    16 Fev 2020 às 09:32

    mais um no bando dos caguetas, isso é normal entre os 40 de hoje em dia

Sitevip Internet