Olhar Jurídico

Quinta-feira, 06 de agosto de 2020

Notícias / Constitucional

STF nega novo recurso da Câmara de Cuiabá contra decisão que reduziu valor da VI

Da Redação - Vinicius Mendes

01 Jul 2020 - 08:38

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

STF nega novo recurso da Câmara de Cuiabá contra decisão que reduziu valor da VI
A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, por unanimidade, o recurso de embargos de declaração interposto pela Câmara Municipal de Cuiabá contra a decisão que delimitou a verba indenizatória dos vereadores para 60% do valor do salário e também impôs necessidade de comprovação dos gastos. O STF também manteve multa de 5% sobre o valor da causa.

Leia mais:
STF nega recurso e Câmara de Cuiabá terá que reduzir VI para 60% do valor do salário

No ano passado o STF já havia mantido entendimento contrário à lei que previa aumento na verba indenizatória de R$ 18,9 mil para R$ 25 mil. O Tribunal de Justiça de Mato Grosso havia julgado inconstitucional a lei que previa o aumento, ao constatar que a verba indenizatória devida aos vereadores de Cuiabá aumentou mais de 1.118%.

O TJ manteve a sentença que limitou a verba indenizatória paga aos vereadores a 60% do subsídio fixado para cada legislatura e determinou a prévia comprovação dos gastos, por meio de relatório e documentos fiscais. 

A Câmara apresentou recursos junto ao STF. Em decisão de junho de 2019 o relator, ministro Edson Fachin, ressaltou o aumento descontrolado da verba, que foi majorado em mais de 1.000%, e por entender que houve violação clara dos princípios constitucionais da moralidade e da razoabilidade, negou um recurso da Câmara. Novamente os vereadores recorreram, por meio de agravo regimental.

No último mês de abril a 2ª Turma negou provimento ao agravo regimental. O Legislativo Municipal então interpôs embargos de declaração, mas o recurso foi rejeitado em sessão da última segunda-feira (29).

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Mc
    01 Jul 2020 às 11:35

    Ainda bem que falta pouco tempo para o Misael e seus 13 capangas deixar dos horrores.

  • OLIVEIRA CUIABANO
    01 Jul 2020 às 10:50

    TEM E QUE ACABAR COM ESTA PORCARIA DE VERBA PARA ENCHER O BOLSO DE VEREADORES QUE NÃO FAZEM NADA EM BENEFICIO DE NINGUÉM, NA HORA DE AJUDAR AS PESSOAS DESEMPREGADAS O GOVERNO FICA COM LADAINHA MAS NÃO FALTA DINHEIRO PARA ESTA CAMBANDA DE VEREADORES

  • Edivaldo Rocha
    01 Jul 2020 às 09:29

    É uma vergonha a Câmara continuar insistindo em recorrer. Tem que cumprir a decisão do STF.

Sitevip Internet