Olhar Jurídico

Terça-feira, 11 de agosto de 2020

Notícias / Civil

Cuiabá entra com terceiro recurso no STF contra a quarentena obrigatória

Da Redação - Arthur Santos da Silva

13 Jul 2020 - 15:19

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Cuiabá entra com terceiro recurso no STF contra a quarentena obrigatória
A Prefeitura de Cuiabá impetrou o terceiro recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) contra decisão judicial em Mato Grosso que determina quarentena obrigatória na Capital e em Várzea Grande.

Leia também 
Justiça prorroga quarentena em Cuiabá e VG e estudará nova extensão semana que vem

 
O pedido de suspensão de liminar foi protocolizado durante a noite de quinta-feira (9), poucas tempo depois da quarentena ser prorrogada por mais sete dias nas duas cidades.
 
Recurso afirma que o magistrado que decidiu pela quarentena assumiu de forma indevida o protagonismo das ações de prevenção e combate ao novo coronavírus, “substituindo o próprio administrador público eleito democraticamente para exercer as atribuições do relevante cargo ocupado”.
 
O juiz  Jose Lindote, da Vara Especializada da Saúde Pública de Mato Grosso, foi quem atendeu pedido do Ministério Público e prorrogou a quarentena obrigatória em Cuiabá e Várzea Grande por mais sete dias. Caso seja necessário, a medida poderá ser estendida novamente por mais uma semana.
 
Ao final de sete dias, conforme o cenário de avanço ou estagnação do contágio pela Covid-19, o magistrado poderá designar nova audiência de conciliação entre representantes do Estado, dos municípios de Cuiabá e Várzea Grande, e do Ministério Público, ou mesmo prorrogar os efeitos da decisão por igual período.
 
A Secretaria de Estado de Saúde (SES) notificou, até a tarde de domingo (12), 28.791 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso e um total de 1.077 óbitos em decorrência do coronavírus.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jose
    14 Jul 2020 às 08:48

    Estranho tem alguns comentarios sobre Politico o Site se omite a publicar porque sera??? o melhor seria voces retirar esta pagina de comentario...

  • Antônio
    13 Jul 2020 às 22:06

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Maria
    13 Jul 2020 às 20:39

    Poder público, faça sua parte. Abra as Unidades de Saúde para diagnóstico e tratamento precoce dos casos. Foi o que fizeram nos lugares em que se conseguiu resultado.

  • Ze Luiz
    13 Jul 2020 às 20:26

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • CDG
    13 Jul 2020 às 18:47

    Prefeito Emanuel Pinheiro, invés de ficar recorrendo de cada decisão procure estudar meios eficazes para que a população posso voltar ao seu "normal"com segurança. Não se vende para doentes e mortos, e doentes e mortos também não trabalham.

  • Sônia Maria
    13 Jul 2020 às 17:53

    De que lado o prefeito está, da população ou dos interesses empresariais e políticos? Nosso Estado e principalmente Cuiabá, vivem um período de extremo risco de mortandade e ele gasta tempo impetrando recurso para barrar quarentena! Está querendo esconder alguma coisa? Seriam os leitos de UTIS que não foram abertos?

  • kbça pensante
    13 Jul 2020 às 16:43

    Enquanto a procuradoria se aventura judicialmente buscando um resultado favorável, a quarentena vai sendo cumprida pelas coxas mais uma vez...

Sitevip Internet