Olhar Jurídico

Domingo, 27 de setembro de 2020

Notícias / Geral

Ministério Público de Contas fiscaliza licitação de combustíveis no valor de R$ 1,7 milhão

Da Redação - Arthur Santos da Silva

03 Ago 2020 - 13:59

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Ministério Público de Contas fiscaliza licitação de combustíveis no valor de R$ 1,7 milhão
O Ministério Público de Contas de Mato Grosso (MPC-MT) ingressou com uma Representação Interna no Tribunal de Contas (TCE) para fiscalizar pregão presencial para aquisição de combustíveis pelo município de Acorizal, no valor de R$ 1,7 milhão.

Leia também 
Conselheiro preso após ser flagrado descartando provas é solto pelo STF


O pregão presencial 003/2019 aberto e homologado em 2020, teve como objeto o registro de preços para eventual aquisição de mais de 400 mil litros de combustíveis, óleo diesel S-10, óleo diesel comum e gasolina comum, para atender às necessidades das secretarias do município.

O MP de Contas recebeu a denúncia de uma suposta utilização indevida de combustíveis por veículos das secretarias municipais, no exercício de 2019. Diante do procedimento licitatório de mais de 400 mil litros de combustíveis, o MPC realizou verificações iniciais e constatou divergência entre os dados enviados ao TCE e publicados no portal transparência do município.

Os dados preliminares apontam indícios de que os valores contratados pela prefeitura de Acorizal para aquisição de combustíveis ainda teriam sido licitados com possível sobrepreço e em uma quantidade incompatível com a frota veicular municipal. No ano passado, teria sido pago o valor de R$ 756.471,29 referente à aquisições de combustíveis.

No processo o MP de Contas solicita ao Tribunal de Contas que realize inspeção de conformidade, elabore relatório técnico preliminar de auditoria, cite os responsáveis pela prefeitura e após o relatório conclusivo envie os autos para o Ministério Público de Contas se manifestar quanto ao mérito. Requer ainda o envio dos autos para o Ministério Público Estadual para aferição de possíveis infrações cíveis e criminais.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet