Olhar Jurídico

Terça-feira, 29 de setembro de 2020

Notícias / Criminal

Ministro dá 15 dias para Teis se defender; afastamento de conselheiros tem validade até dia 17

Da Redação - Arthur Santos da Silva

03 Ago 2020 - 15:07

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Ministro dá 15 dias para Teis se defender; afastamento de conselheiros tem validade até dia 17
O ministro João Otavio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), deu 15 dias para o conselheiro afastado do Tribunal de Conta de Mato Grosso (TCE-MT), Waldir Teis, apresentar defesa em processo sobre obstrução. No fim do prazo o magistrado deve decidir também se acata novo pedido de afastamento. Noronha explicou ainda que, assim como Teis, o afastamento contra outros quatro conselheiros tem prazo de validade até o próximo dia 17 de agosto.

Leia também
Justiça aumenta valor da fiança e empresário terá de pagar R$ 52 mil para não voltar a ser preso

Teis foi denunciado por embaraço no âmbito da Operação Ararath. A denúncia descreve a tentativa do conselheiro afastado do TCE de embaraçar a atividade da polícia judiciária que, em 17 de junho, cumpria mandados de busca e apreensão em um escritório em Cuiabá. A essa etapa da investigação, que está na 16ª fase, foi dada o nome de Operação Gerion.
 
O denunciado, ao notar que os policiais se concentravam em uma segunda sala, recolheu uma série de talões de cheques com cifras milionárias e outras folhas assinadas mas sem preenchimento do valor, que estavam em sala ainda não analisada pelas autoridades. Mas acabou sendo flagrado, e o material, que havia sido jogado numa lixeira, foi recolhido.
 
Além da condenação pela infração de embaraço à investigação, o MPF requereu à Justiça indenização por danos morais coletivos, no valor de R$ 3 milhões, além da prorrogação do afastamento do conselheiro até o trânsito em julgado da denúncia.
 
Em sua decisão João Otavio de Noronha assinalou que o conselheiro em questão já se encontra afastado desde 2017 e, por decisão da Corte Especial, de fevereiro de 2020, o afastamento foi prolongado pelo prazo de 180 dias. “Caso o denunciado já  esteja afastado cautelarmente, delibera-se, no caso de recebimento da peça acusatória, sobre a continuidade ou não do afastamento”.
 
“No presente caso, sabendo-se que o afastamento atual, decorrente de decisão da Corte na PBAC n. 12/DF, vigora até 17/8/2020, não há necessidade de se decidir ponto tão relevante de imediato, podendo-se aguardar o processamento da propositura da ação penal”, finalizou João Otavio de Noronha.

Prezo de afastamento

Afastamento decretado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e mantido pelo STJ contra cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) tem prazo de validade até o próximo dia 17 de agosto.
 
José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo, Valter Albano, Antônio Joaquim e Waldir Teis estão afastados do cargo desde 2017, inicialmente por determinação do ministro Luiz Fux, do STF, durante a Operação Malebolge, 12ª fase da Ararath, da Polícia Federal.
 
Após declínio de competência,  por decisão da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça, em fevereiro de 2020, o afastamento foi prolongado pelo prazo de 180 dias, que se encerra justamente em agosto. Para que o afastamento se mantenha, será preciso a ocorrência de nova decisão.
 
Os conselheiros são acusados de aceitar propina de R$ 53 milhões do ex-governador Silval Barbosa em troca de pareceres favoráveis às suas contas, bem como não colocarem entraves no andamento das obras da Copa do Mundo de 2014.
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet