Olhar Jurídico

Quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Notícias / Eleitoral

PF aponta recebimento de R$ 3,1 milhões e apura suposta “compra” de vaga por suplente de Selma

Da Redação - Érika Oliveira

31 Ago 2020 - 10:22

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

PF aponta recebimento de R$ 3,1 milhões e apura suposta “compra” de vaga por suplente de Selma
A Polícia Federal (PF) solicitou à 51ª Zona Eleitoral a ampliação de uma investigação que apura se os R$ 3,1 milhões recebidos pela senadora cassada Selma Arruda (PODE), que teriam supostamente sido doados para campanha por seu então suplente Gilberto Possamai, eram na verdade relativos ao pagamento da “compra” da vaga na chapa. O pedido foi recebido pelo juiz Jorge Alexandre Martins Ferreira e remetido ao Ministério Público.

Leia mais:
PGR pede que recurso de Selma contra rito de cassação no Senado seja negado

Selma e Possamai foram cassados e perderam seus direitos políticos por oito anos, após condenação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder econômico e caixa 2. Do valor apontado pela PF, R$ 1,5 milhão constam como um suposto empréstimo feito entre os dois, o restante do dinheiro foi doado pelo suplente e por sua esposa, Adriana Krasnievicz Possamai, e constam na declaração da senadora cassada à Justiça Eleitoral.

Conforme a PF, porém, Selma não teria capacidade financeira para honrar o suposto empréstimo e também não teria oferecido garantias a Possamai de que conseguiria quitar o valor da dívida. Para os policiais, os valores seriam na verdade o pagamento da “compra” da vaga de suplente.

Este mês, a Procuradoria-Geral da República negou um recurso dos advogados de Selma, que questionava o rito estabelecido pela Mesa do Senado Federal para a declaração de perda do mandato, sob a alegação de que houve cerceamento de defesa.
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet