Olhar Jurídico

Sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Notícias / Eleitoral

Justiça determina exclusão de propaganda sobre madrasta de Abílio e demissão de servidores

Da Redação - Arthur Santos da Silva

27 Nov 2020 - 10:40

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Justiça determina exclusão de propaganda sobre madrasta de Abílio e demissão de servidores
O juiz Geraldo Fidelis, da 1ª Zona Eleitoral de Cuiabá, determinou suspensão de propaganda em que o atual prefeito em busca de reeleição, Emanuel Pinheiro (MDB), afirma que o também candidato, Abílio Junior (Podemos), tem ligações com funcionária fantasma e pretende desempregar servidores. “Quem defende madrasta fantasma não tem moral para desempregar servidor”, afirmava a peça.

Leia também 
Wellaton tenta impedir vídeo sobre suposta atuação de sua família para desabrigar idosos

 
A propaganda dizia: “em plena maior crise do século, a solução populista de Abílio é desempregar milhares de famílias cuiabanas. Escute o nível da inconsequência: ‘eu falo claramente, vamos mandar embora três mil servidores públicos’. Imaturidade e populismo, este é o perfil do candidato mais despreparado de todos os tempos em Cuiabá. Quem defende madrasta fantasma não tem moral para desempregar servidor. Cuiabá não é uma brincadeira”.
 
“É claro que os objetivos da peça em questão, nitidamente, era o de causar estados emocionais artificiais, com o objetivo de atingir o maior número de pessoas, causando comoção de forma irreal e revolta”, salientou Fidelis.
 
Com essas considerações, julgo procedente em parte o pedido deduzido na inicial, para determinar a suspensão do material guerreado, máxime no ponto que afirma “quem defende madrasta fantasma, não tem moral para desempregar servidor”.
 
Decisão é do dia 26 de novembro.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet