Olhar Jurídico

Sexta-feira, 05 de março de 2021

Notícias / Criminal

Adolescente que matou amiga com tiro na cabeça ficará internada por tempo indeterminado; avaliação semestral

Da Redação - Arthur Santos da Silva

19 Jan 2021 - 21:02

Foto: Reprodução

Adolescente que matou amiga com tiro na cabeça ficará internada por tempo indeterminado; avaliação semestral
Internação imposta em face da adolescente que matou a amiga com um tiro na cabeça, crime registrado no Condomínio Alphavile, em Cuiabá, vale por tempo indeterminado. Conforme sentença desta terça-feira (19), assinada pela juíza Cristiane Padim da Silva, da 2ª Vara Especializada da Infância e Juventude de Cuiabá, a medida socioeducativa será reavaliada semestralmente.

Leia também 
Riva pede R$ 80 milhões caso haja perda de posse sobre fazenda supostamente comprada com propina


Ainda conforme sentença, a internação foi aplicada levando em conta a prática do ato infracional equiparado ao crime de homicídio qualificado em face de Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos. Há nos autos O esclarecimento de que o prazo da medida socioeducativa não pode ultrapassar três anos.
 
“Concluo que a execução imediata da sentença atende aos preceitos do ECRIAD [Estatuto da Criança e do Adolescente], principalmente no que concerne a imprescindibilidade da prioridade absoluta e a celeridade da intervenção Estatal na proteção das crianças e dos adolescentes, evidenciando o caráter pedagógico e responsabilizador da internação determinada em face da adolescente que aos 14 anos de idade ceifou a vida de sua amiga, também de 14 anos de idade, em atuação que estampou frieza, hostilidade, desamor e desumanidade”, salientou a magistrada.
 
A decisão assinada por Padim determinou ainda a remessa de todos os objetos apreendidos para o juízo da 8ª Vara Criminal de Cuiabá, local em que tramita processo para apuração da responsabilidade penal de pessoas maiores, os pais da atiradora.
 
A apresentação da adolescente já foi feita na Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), da Polícia Judiciária Civil. O pai dela, o empresário Marcelo Cestari, acompanhou o cumprimento da sentença.
 
O crime aconteceu em julho de 2020 e ganhou repercussão nacional após ser publicizado pelo programa dominical Fantástico, da Rede Globo.

A reportagem tentou contato com o advogado Artur Osti, responsável pela defesa da adolescente. Não houve resposta. 
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet