Olhar Jurídico

Terça-feira, 26 de outubro de 2021

Notícias | Civil

briga de parlamentares

Ulysses pede que Justiça reconsidere liminar e autorize veiculação de vídeo contra Wilson Santos

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Ulysses pede que Justiça reconsidere liminar e autorize veiculação de vídeo contra Wilson Santos
O deputado estadual Ulysses Moraes (PSL) pediu que a Justiça reconsidere decisão liminar responsável por determinar exclusão de postagem em rede social contra o também deputado, Wilson Santos (PSDB).

Leia também 
Voto de Gilmar Mendes pede restabelecimento de Mesa Diretora presidida por Botelho

 
Inicialmente, Santos afirmou que  Ulysses fez montagem de vídeo com informações falsas e difamatórias a seu respeito. Assunto do vídeo foi alterações no Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal de Mato Grosso.
 
Peça salientava, segundo os autos, que o deputado tucano defende aumento de tributos em Mato Grosso e compactua com a alta de preço de alimentos. A decisão liminar foi dada pelo juiz da Quinta Vara de Direito Cível de Cuiabá, Flávio Maldonado de Barros, determinando retirada.
 
Maldonado reconheceu que Ulysses extrapolou ao exercer o direito de liberdade de expressão e pensamento. “Aqui, com a cognição própria ao momento, com a utilização de apenas um trecho da fala da parte reclamante, passa-se uma informação, no mínimo, incompleta e não há interesse público na divulgação de informação que não consiga repassar, fidedignamente, a posição defendida quando do debate”, salientou.
 
No pedido de reconsideração, o membro do PSL afirma que não há lesão à honra de Santos. O tucano seria figura pública. “O posto pelo qual de livre vontade assumiu, o tornou representante da população e, consequentemente, passível a questionamentos”, diz trecho da peça processual.
 
“Como se não bastasse ser figura pública, o próprio Autor confessa na petição inicial que é favorável às modificações do Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal de Mato Grosso (FEEF). Logo, conclui -se que em momento algum o Requerido falseou a verdade, mas tão somente informou a população mato -grossense a respeito da tomada de decisão de um de seus representantes”.
 
Ainda segundo Ulysses, a informação trazida pelo vídeo não destoa da realidade. “Assim, não estão preenchidos os requisitos da concessão da liminar ora debatida, uma vez que a ‘ofensa’ que o autor diz estar sofrendo não passa de mero dissabor politico”.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet