Olhar Jurídico

Quarta-feira, 01 de dezembro de 2021

Notícias | Criminal

em frente à Valley

Justiça nega decretar sigilo e marca audiência em ação contra bióloga acusada de matar duas pessoas

Foto: Reprodução

Justiça nega decretar sigilo e marca audiência em ação contra bióloga acusada de matar duas pessoas
O juiz Flávio Miraglia Fernandes, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, marcou para o dia três de fevereiro de 2022 audiência de instrução em processo que julga a bióloga Rafaela Screnci da Costa Ribeiro, acusada pelas mortes do cantor Ramon Alcides Viveiros e Mylena de Lacerda Inocêncio, acidente registrado próximo à boate Valley, em Cuiabá. Na decisão que marcou audiência, o magistrado negou a possibilidade de decretar sigilo nos autos.

Leia também 
Magistrada rejeita pedido de liberdade de investigador aposentado que é alvo da Operação Renegados

 
“No que tange a eventual decretação de sigilo destes autos, desde já deixo registrada a impossibilidade, neste momento, pois tal medida é cabível excepcionalmente em investigações policiais e processos que versam sobre direitos indisponíveis, o que não é o caso destes autos”, salientou Miraglia.  
 
O crime em frente à boate Valley ocorreu no dia 23 de dezembro de 2018, na Avenida Isaac Póvoas. Na ocasião do acidente, a denunciada atropelou Mylena de Lacerda Inocêncio, Ramon Alcides Viveiros e Hya Giroto Santos, causando a morte das duas primeiras vítimas e gravíssimas lesões corporais na terceira.
 
Ao dirigir em notório estado de embriaguez e em velocidade acima do permitido, conforme o MPE, a acusada Rafaela Screnci assumiu o risco de produzir o resultado morte.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet